6 premissas para uma boa história

Como o storytelling pode contribuir para melhorar a capacidade de reter a atenção do seu público? Veja as dicas de um especialista no assunto

Por: - 3 meses atrás

boa história

Não é nenhuma novidade que vivemos a era da geração do conteúdo. Nunca se criou tanto conteúdo online na história. E qual o grande desafio deste cenário?
Conquistar a atenção e o tempo da sua audiência.

Olhando para os lados, quais marcas conseguem mais tempo e dedicação de sua audiência do que a Netflix? Elas conseguiram fazer algo tão relevante e importante que precisarão dividir seu bolo com Amazon Prime, HBO Go, Apple TV+ e Disney+.

Percebam que Amazon e Apple não nasceram no mundo do cinema. Ou seja, nenhum mercado está de fora. Essa é uma das maiores provas que as pessoas, no geral, estão desejando boas histórias para consumir.

E quem for capaz de CRIAR UMA BOA HISTÓRIA, aumentará sua capacidade de reter a atenção do seu público.

Você pode estar se perguntando como criar BOAS histórias. Afinal você nunca criou filmes e séries, nem conhece o mundo de Hollywood! Calma. É muito mais simples do que parece.

Quando vocês encontram sua família ou amigos, vocês contam histórias. Quando você pensa ou sonha, você o faz em forma de história. É natural do ser humano contar histórias. Mas existem algumas premissas que esquecemos quando entramos nos elevadores da empresa que trabalhamos:

1. Remova o seu Ego: Estamos acostumados a falar de nós mesmos no momento de convencer alguém a fazer alguma coisa. Isso é um obstáculo para gerar empatia com o outro. Pois o outro está interessado em saber como você pode ajudá-lo, e não no quanto você é bom.

2. Razão + emoção: Fomos todos treinados a criar narrativas retóricas (mais racionais) na hora de vender uma ideia, produto ou serviço. Ao final, esquecemos que somos todos seres humanos e movidos também pelas emoções. Quando juntamos emoção e razão, nos tornamos muito mais convincentes.

storytelling

3. Falar a verdade: Todos os produtos ou serviços podem ter imperfeições e problemas. E se você esconder do seu consumidor e ele descobrir será praticamente o fim da relação de vocês. Fora isso, você entende que falar a verdade vai muito mais além de não mentir? Não saber ler o contexto que você está inserido de maneira realista, faz com que você tente contar uma história incompleta, irreal e questionável. Se você está “cego”, mesmo com a intenção de contar a verdade, você não conseguirá alcançá-la.

4. Mostre sua vulnerabilidade: Seres humanos se empatizam com os seus semelhantes. E não somos perfeitos. Ao invés de se vender como sábios, experts, perfeitos e fortes, mostre que somos vulneráveis, erramos e sentimos medo, raiva, culpa e vergonha. Porém como protagonistas fortes que somos, o que fazemos quando nos sentimos vulneráveis não é paralisar é AGIR em direção aos nossos desejos. Isso gera admiração.

5. O que é preciso X o que gostaria: Um protagonista que só faz o que gostaria de fazer, uma hora percebe que faltou fazer o que era PRECISO ser feito. E isso o coloca em situações de perrengue.

6. Somos todos iguais: Os valores universais mostram que somos todos iguais. Todos nós queremos ser reconhecidos pelo nosso trabalho, queremos pertencer a um grupo seleto de pessoas, conquistar algo ou alguém e sentimos medo de sermos abandonados. Conseguir olhar para o outro, para o contexto que ele está inserido e encontrar os valores universais que estão em risco o ajuda a identificar o que é realmente importante na vida dele.

Sem essas premissas nas suas histórias, não existe chance de você conquistar suas audiências por muito tempo. Você até pode seduzir ou coagir sua audiência durante um período. Mas não será sustentável.

A única forma de criar histórias que vivam por mais tempo, é adotando essas premissas que farão você sair da zona de conforto.

Afinal, “Com grandes poderes, Grandes Responsabilidades” (citação do filme Homem-Aranha).

Quer ter o poder de criar histórias e vender suas ideias, produtos ou serviços? Então não fuja da responsabilidade de entregar a verdade de maneira realista.