Você sabe os perigos dos rótulos dos alimentos?

Pesquisa realizada pelo Instituto de Defesa do Direito do Consumidor (Idec) detalha rótulos. Confira dicas dadas pelo órgão para observação de produtos

Por: - 2 meses atrás

rótulos dos alimentos Crédito: Shutterstock

Uma pesquisa realizada em 2019 apontou problemas dos chamados alimentos “livres de gordura trans”. Para isso, especialistas do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde Pública da Universidade de São Paulo (Nupens/USP) e do Instituto de Defesa do Direito do Consumidor (Idec) analisaram rótulos de mais de 11 mil produtos comercializados no Brasil.

Os estudos compararam os rótulos das embalagens que apontam, em sua maioria, a ausência de gordura trans, com a tabela nutricional e lista de ingredientes na parte de trás.

Dos produtos analisados, 30% identificados como livres de gorduras trans escondiam quantidades do ingrediente em sua composição.

Entenda melhor os rótulos dos alimentos

Desde 2001, o rótulo com informações nutricionais é obrigatório em qualquer produto regulado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) – órgão responsável pelas normas de Rotulagem de Alimentos Industrializados. Mas nem sempre recebe a atenção merecida do consumidor.

No entanto, se o produtor tiver menos de 0,2 grama do ingrediente por porção, a empresa pode declarar que a quantidade é zero.

Em geral, os rótulos trazem dados baseados na quantidade saudável que podemos consumir, quanto a porção daquele alimento contribui para o total de nutrientes diários, calorias, a quantidade de vitaminas, proteínas, carboidratos, gorduras, fibras e sódio.

Segundo o Idec, muitos produtos destacam na parte da frente chamarizes como “fonte de fibras”, “rico em vitaminas” e “0% gordura trans”, mas uma leitura da tabela nutricional pode mostrar que o produto tem níveis de açúcar e sódio acima do recomendado.

A lista de ingredientes é organizada de forma decrescente, com elementos em maior quantidade no topo da tabela. Além disso, se o alimento consta como integral, mas a farinha branca é o primeiro ingrediente, é melhor repensar a compra.

Como ler rótulos?

A partir da pesquisa, o Idec também apresentou formas de como ler os rótulos de produtos, além dos alimentícios, para entender a informação contida neles.

Alimentos

Verifique a lista de ingredientes. Ao conferir a tabela nutricional, fique atento à quantidade de elementos e porções presentes. Além da validade, observe o prazo para consumo após aberto.

Eletrodomésticos e portáteis

Além de informações básicas como voltagem, produtos como pranchas de cabelo, sanduicheiras e fornos são certificados pelo Inmetro, com selo de uso obrigatório. Liquidificadores, secadores de cabelo e aspiradores de pó devem ter o selo para ruído, de 1 a 5, sendo o último o mais barulhento.

Brinquedos

A restrição etária está relacionada a aspectos de segurança para prevenção de riscos, como sufocamento. A idade indicada para o uso, por sua vez, informa a adequação do brinquedo ao interesse e à habilidade da criança. Brinquedos nacionais e importados devem ter o selo do Inmetro.

Remédios

Além de data de fabricação e validade, observe o prazo para uso após aberto. A letra G escrita na embalagem identifica o remédio como genérico.

Roupas

Verifique na etiqueta a composição têxtil e os cuidados para lavagem. Os cuidados para a conservação estão representados por símbolos que indicam como o produto pode ser seco e lavado.

A partir da pesquisa, o Idec também apresentou formas de como ler os rótulos dos produtos para entender a informação contida neles.


JÁ VIU? 

Idec alerta para produtos com falsos rótulos de ecologicamente corretos