Facebook também testa retirada dos likes

A mesma desenvolvedora que descobriu com antecedência a mudança no Instagram, agora, revela os testes do Facebook

Por: - 2 semanas atrás

Facebook

Faz pouco tempo desde que a retirada dos likes no Instagram causou alvoroço no mundo das redes sociais. É claro que, a retirada na verdade é apenas para terceiros. O usuário ainda consegue ver suas curtidas e contar com isso como um resultado. O que muda, segundo os especialistas, é a aprovação externa vinda desses números. Bom, o Facebook, pelo visto, também pretende fazer o mesmo.

A pesquisadora que também descobriu o fato no Instagram é Jane Manchun Wong. Em um post de seu blog ela revela os planos do Facebook. Segundo ela, a rede social começou o protótipo através de engenharia reversa no aplicativo.

De acordo com a especialista, o fato de o Instagram ter testado as curtidas inicialmente no Canadá e depois no mundo inteiro e, agora, o Facebook também trabalhar nisso, mostra que a companhia de Mark Zuckerberg está confiante com a mudança, focada mais nos prós do que nos contras.

Consequências do “fim dos likes” no Facebook

O estudo “Social Networking Sites, Depression, and Anxiety: A Systematic Review”, elaborado em 2016, mostra que os usuários (especialmente os jovens) sofrem de ansiedade com a percepção de sua popularidade nas redes sociais, devido ao número de likes, comentários e interações.

Em 2012, um desenvolvedor de extensões para o Google Chrome lançou um feature capaz de alterar a interface da rede social e esconder os likes.

Em uma matéria publicada em junho, especialistas do mercado atestaram que a mudança não afeta bruscamente quem trabalha com as redes sociais.

Durante o período, o CEO da Digital Stars, Alessandro Visconde, concedeu uma entrevista exclusiva à Consumidor Moderno. Ele destacou que o único desafio existente seria a adição de mais um processo na hora de fornecer os dados às empresas contratantes.

Confira a matéria completa CLICANDO AQUI

A desenvolvedora Jane Manchun Wong, responsável por descobrir as mudanças, listou diversas pesquisas importantes que corroboram com a decisão da organização para mudar suas políticas.

É importante frisar que a empresa vem sofrendo com problemas legais nos EUA devido a proteção de dados e críticas de diversos estudiosos da psicologia pelo efeito negativo do uso do Instagram na saúde mental dos usuários.

Um fato curioso é a desenvolvedora ter enfrentado a fúria de diversos usuários, quando por meio de seu blog revelou a mudança na rede: “Me pediam para parar a mudança como se eu trabalhasse no Instagram”, declarou.


+ SOBRE REDES SOCIAIS

53% das tentativas de login nas redes sociais são fraudulentas
Internautas usam mais aplicativos e redes sociais para fazer compras
Redes sociais não devem substituir atividades saudáveis, diz estudo
Millennials: 95% dizem sofrer com Burnout