Timberland planeja plantar 50 milhões de árvores até 2024

Empresa de calçados pretende dar um impulso às florestas do mundo em parceria com ONG’s no Haiti, China, República Dominicana, Estados Unidos e Mali

Por: - 2 semanas atrás

Crédito: Shutterstock

Nos próximos cinco anos, a Timberland planeja plantar 50 milhões de árvores pelo mundo. Em parceria com organizações sem fins lucrativos, a empresa começará com projetos no Haiti, China, República Dominicana, Estados Unidos e Mali.

A iniciativa busca criar a Grande Muralha Verde – uma parede de vegetação que vai se estender por toda a África.

“É a maior campanha global que já tivemos”, diz Jim Pisani, presidente global da Timberland.

Para se ter ideia em um único dia de julho, a Etiópia plantou 350 milhões de árvores – parte dos planos do país de plantar 4 bilhões até o final do ano.

Já a Nova Zelândia pretende plantar um bilhão de árvores até 2028 e a Irlanda 440 milhões até 2040. No Paquistão, após décadas de desmatamento, o governo estabeleceu uma meta no final de 2018 para plantar 10 bilhões de árvores em cinco anos.

Outras empresas também apoiaram grandes projetos de reflorestamento, como o Ecosia, um mecanismo de busca que usou seus lucros para plantar mais de 60 milhões de árvores na última década.

Para a Timberland, que já havia apoiado trabalho semelhante no passado, com 10 milhões de árvores plantadas desde 2001, dobrar o plantio faz sentido como parte de sua abordagem mais ampla à sustentabilidade. “Nós apenas sabemos que é uma maneira eficaz de realmente mitigar as mudanças climáticas”, diz Pusani em comunicado à imprensa.

A empresa de vestuário está em parceria com grupos como a Aliança de Pequenos Produtores e a Convenção da ONU para Combater a Desertificação  no trabalho.

“Definitivamente, é nossa esperança que inspiremos outras pessoas do setor a agirem. Quer estejam plantando árvores ou fazendo suas próprias coisas, todos temos um papel a desempenhar no apoio ao meio ambiente e na redução de nosso impacto”, finaliza Pusani.

Uso do couro

A Timberland, uma das marcas da VF Corporation, suspendeu a exportação de couro brasileirona semana passada em respeito ao meio ambiente, após a repercussão das queimadas na Amazônia. Outras 18 marcas internacionais também repetiram o mesmo posicionamento, como a Vans, Kipling, Eastpack e The North Face que já sustentam discursos sustentáveis.

A empresa também trabalha para reduzir as emissões diretamente à medida que se move para usar mais energia renovável e trabalha com fornecedores em outras soluções em potencial, como a criação de gado regenerativo – realizando a criação de uma maneira que se possa sequestrar carbono, reduzindo a pegada de carbono do couro.