EDP: Como uma empresa de distribuição de energia ficou tão próxima do consumidor

Companhia atua ativamente junto ao parceiro de call center e comentou sobre case de sucesso com o consumidor durante palestra no CONAREC

Foto Unsplash

As empresas de call center têm um papel fundamental no processo de atendimento aos consumidores. Afinal, elas lidam com o pilar mais importante das organizações: o cliente.  E, por isso, as companhias que terceirizam o atendimento devem estar sempre de mãos dadas com as operações, como tem feito a EDP, de distribuição de energia elétrica. 
Milton Biral Filho, head de contac center e canais virtuais, falou sobre o desafio durante a plenária “A transformação no relacionamento com foco na experiência do cliente”, durante o CONAREC. 
Quando ingressou na companhia, há pouco mais de um ano, o executivo tinha dois objetivos definidos pela direção: promover a transformação digital e tornar a empresa reconhecida como a melhor distribuidora de energia elétrica do Brasil – um desafio e tanto para uma empresa que tem 3,5 milhões de clientes pelas suas Distribuidoras em São Paulo e no Espírito Santo. 


“Em 2025, o mercado de energia elétrica deve ser aberto e as pessoas terão a opção de escolher o seu fornecedor de energia elétrica. Então, temos que nos diferenciar pela qualidade do serviço para deixar uma boa experiência e não sermos trocados na abertura de mercado”


Foto Rafael Canuto


Para alcançar os resultados esperados, a empresa decidiu investir em melhorias de processo, capacitação de pessoas e contratação de tecnologia. Para isso, organizou um processo de seleção técnico entre mais de 10 de fornecedores do mercado e a Atento, na ocasião, foi o call center selecionado.   
A própria EDP, porém, foi quem definiu o tamanho da operação e quais cargos deveriam compor a equipe. Além disso, durante 35 dias investiu, com recursos próprios, em treinamentos para 350 funcionários. 
“Tem muita tecnologia disponível no mercado, o que nos torna capaz de transferir boa parte do volume de atendimento, de baixa complexidade, para estes canais. Só que, em algum momento, o cliente vai falar com o humano que deve estar tão bem preparado para resolver um problema complexo, como o digital tem que estar preparado para resolver coisas de baixa complexidade”, explicou o executivo.

Foto Rafael Canuto


A empresa também adquiriu uma plataforma de conteúdo, que é similar ao Facebook, onde ficam armazenados vídeos-aulas, treinamentos com gameficiação e procedimentos, com o objetivo de promover o engajamento entre os profissionais – a maioria jovens. 
Além disso, a equipe de Biral passou a  atuar em tempo integral dentro da operação. “O parceiro conhece muito a infraestrutura de call center, mas quem conhece do negócio somos nós. Nós não delagamos a operação, apenas terceirizamos”, conclui o executivo. 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS