Sua empresa é instagramável?

Detalhes na decoração e no ambiente instigam o cliente a tirar fotos e publicar nas redes sociais. E um deles virou o canal ideal para isso: o Instagram

Por: - 2 meses atrás

Instagram

Bruno Rudge, cofundador da La Rouge Belle, varejista de roupas íntimas para mulheres, trabalhou no mercado financeiro por muitos anos. Com o sucesso da irmã blogueira de moda, Lalá Rudge, fez uma migração de carreira e foi trabalhar na La Rouge Belle. Lala começou ainda na época dos blogs, mas hoje é influenciadora no Instagram, com 1,6 milhão de seguidores. “Hoje quase não tem mais blog, houve uma migração para o Instagram”, pontua Bruno.

Sabendo da força do Instagram, a La Rouge Belle montou suas lojas para serem instagramáveis. Em palestra no CONAREC, Bruno deu três exemplos da nova loja da La Rouge Belle inaugurada no shopping Cidade Jardim, em São Paulo.


“Temos que encantar o cliente e montamos a loja pensando nisso, em criar um ambiente que ele queira ficar e comprar”


Vitrine

A nova loja da La Rouge Belle tem uma vitrine com vidro e outra sem vidro, onde a cliente pode entrar e participar. Isso desperta nela a vontade de entrar na vitrine, tirar foto e postar nas redes sociais. “Ganho mídia de graça. Às vezes nem preciso contratar influenciadores”, diz Bruno.

Cantinho bonito

A nova loja tem dois balanços pendurados em um pé direito alto, com poltrona bonita e sem referência alguma à marca. “As influenciadoras vão na loja e querem sentar ali, tirar foto e postar”, diz Bruno.

Foto Felipe Paes

Provadores especiais

Além de servir café, bala de coco, um mimo para a cliente, a marca fez provadores enormes, com poltronas confortáveis e uma luz que favorece o visual da mulher. “A cliente fica bonita lá dentro e acaba tirando foto para postar”, diz Bruno. “Minha loja virou instagramável e está dando repercussão forte na marca.”

Segundo ele, o Instagram traz vendas diretas, porque há um link que redireciona o cliente para o WhatsApp da vendedora, mas as vendas na loja física ainda são mais representativas. “O Instagram é mais forte para exposição de marca.”

Maria Carolina Warzée, do Grupo DRK, dono de bares em São Paulo, também participou do painel “Sua empresa é Instagramável”.

Em 2017, o grupo inaugurou o bar Olívio, na Vila Madalena, e se tornou instagramável ao acaso. A proposta era trazer uma carta de drinks criativos e, como consequência as pessoas começaram a postar as bebidas nas redes.

“Investimos quase nada, apenas convidamos microinfluenciadores de gastronomia”, diz Maria Carolina. O diferencial, além dos drinks em si, é que cada bebida vem com um bilhetinho com uma frase. “Isso surpreende as pessoas e elas tiram foto e postam”, diz Maria Carolina.

Os demais bares do grupo, abertos depois do Olívio, já foram desenhados para instigar o cliente a tirar fotos e postar. Há, além de poltronas bonitas, jogos americanos com frases, por exemplo. “Pensar no bar para o Instagram nos favorece muito”, conclui Maria Carolina.