Nada de Oi, Tim ou Claro. Marcas criam suas próprias operadoras de telefonia celular

SurfTelecom, fabricante de operadoras virtuais, tem atuado com empresas como Correios, Magazine Luiza, VestCasa e Igreja Universal

Foto Unsplash

Se você achava que no Brasil as operadoras de telefonia se limitavam a Vivo, Oi e Claro, saiba que o cenário tem mudado. 
Fabiana Cazarín Dias, executive manager da SurfTelecom, mostrou durante o CONAREC, que diversos players estão apostando no telefone para fidelizar clientes. 
A empresa, que é uma fabricante de operadoras virtuais, está licenciada pela Anatel para prover serviços de telefonia móvel. Dentre os clientes atendidos estão Correios, Magazine Luiza, VestCasa e Igreja Universal, que contratam a SurfTelecom para desenvolver suas próprias operadoras. 


“É uma forma de agregar valor, além de oferecer serviço de comunicação diferenciado”


O Correios, por exemplo, lançou a plataforma Correios Celular para atingir consumidores das Classes C e D, que, muitas vezes, não têm condições de pagar pelo plano de uma operadora tradicional. Os planos incluem ligações e pacote de dados para uso de internet. 

Foto Rafael Canuto


“O cliente entra com um plano pré-pago e o consegue acompanhar quanto falta ainda pra consumir de forma bem simples”, comenta. 
Outro segmento que a Surf tem atuado fortemente é o de clubes de futebol. A empresa tem entre seus clientes times como Bahia e Paissandu. “A ideia é fidelizar o sócio torcedor com pacotes diferenciados. E, para este cliente, é um prazer ter serviços relacionados ao seu time”, conclui.  

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS