Big data e analytics: ferramentas de previsibilidade e evolução nos negócios

O big data quando transformado em informação também podem engajar as pessoas com propósito e na realização de metas nas empresas

Deborah Alves, Fernando Parreiras e Marco Aurélio Machado (Foto Rafael Canuto)

Marco Aurélio Machado, executivo de produtos digitais da AeC, deu início ao seu painel no CONAREC exemplificando como até nas corridas de Fórmula 1 o big data e analytics já fazem diferença na previsibilidade e sucesso de um piloto.
“Um carro de Fórmula 1 gera 500 gigabytes de informação por final de semana, através de 300 sensores. Em uma corrida, em agosto de 2019, o piloto Lewis Hamilton, da Mercedes, estava atrás de Max Verstappen, da Red Bull. Faltando poucas voltas, a equipe de Hamilton pediu para que ele entrasse nos boxes. Com o seu time de data science, a Mercedes utilizou um modelo matemático que ajudou o seu piloto a vencer a corrida”, descreve.
Saber o que vai acontecer no futuro sempre foi um constante desejo do ser humano e agora, na atual revolução que a sociedade vive, chegou a vez do uso de big data e analytics realizarem essa previsibilidade na gestão de empresas, com máquinas computacionais.


Dados em si não significam inteligência. Big data não é apenas um banco de dados relacional como nós estamos acostumados. Há uma série de outras fontes de dados. Tudo é dado para você entender e conhecer o seu público”

Marco Aurélio Machado

Executivo de produtos digitais da AeC


Alcançar as metas com indicações da máquina

Fernando Parreiras, executivo de inovação tecnológica da Robbyson, uma plataforma de inteligência de dados para gestão de pessoas e negócios, criada há cinco anos, fala como quem a utiliza pode engajar o funcionário, através do desenvolvimento de propósito e com aumento nos resultados.
“[O Robbyson] Permite que os gestores avaliem qual é o percentual de pessoas que batem a meta e qual o percentual de pessoas que precisam de certa forma de um empurrão, através de um desafio”, explica.
A ferramenta utiliza a gamificação e estruturação de dados para promover uma melhor usabilidade da ferramenta.
Essa plataforma ajuda na gestão dos colaboradores ao cruzar dados internos e externos para prever, por exemplo, qual é a real chance de funcionário faltar no trabalho.

Foto Rafael Canuto

Conhecendo melhor os seus colaboradores e contratando pessoas produtivas

Para trazer todos estes conceitos para o dia a dia das empresas, Deborah Alves, superintentendente de canais de atendimento da Zurich Seguros, exemplifica os resultados obtidos entre maio e agosto de 2019, ao utilizar o Robbyson. 
Ela descreve que possui um acompanhamento em real time da performance dos times na empresa, que já conta com mais de 310 profissionais da Zurich Seguros cadastrados.
“Toda vez que você tem uma equipe mais engajada, tem melhores resultados e o cliente é melhor atendido”, diz.
A ferramenta também é utilizada na empresa durante a contratação e promoção de funcionários. “Isso traz mais transparência e segurança aos nossos colaboradores, pois utilizamos a meritocracia”, comenta Deborah.


Temos bem menos problemas de clima desde que implementamos a ferramenta. O colaborador sabe com clareza quais são as metas a serem batidas”

Deborah Alves
Superintentendente de canais de atendimento da Zurich Seguros


Deborah também pontua que houve uma redução em absenteísmo em 20% e que o tempo médio de operação da ligação foi reduzida em 4%.
Ao final, o executivo da Robbyson mostrou a possibilidade do gestor receber um áudio no celular, com o resumo do dia das contribuições dos colaboradores na equipe.
 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS