As instituições de pesquisa mais inovadoras do mundo. Veja a lista

Alemanha está no topo da lista com cinco instituições, seguida pela França, Japão e Estados Unidos

Crédito: Unsplash

A agência de notícias britânica Reuters ranqueou quais instituições de financiamento público estão alavancando a ciência no mundo, contribuindo para o pioneirismo de novas tecnologias e empoderando novos mercados.
Ao todo a análise identificou 600 organizações globais com mais artigos publicados em revistas acadêmicas. Deste total, apenas 25 entraram na lista.
Para a seleção foram considerados os candidatos com pelo menos 50 patentes registradas na Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) entre 2012 e 2017, o que caracteriza a capacidade da instituição de aplicar suas pesquisas e comercializar as descobertas.
Por fim, a lista incluiu apenas organizações administradas ou financiadas pelo governo, ranqueando-as conforme seu desempenho.
A Alemanha liderou o ranking com cinco instituições, seguida pela França Japão e Estados Unidos, com quatro cada.
Os outros oito países que entraram na lista (Austrália, Canadá, China, Cingapura, Coréia do Sul, Espanha Taiwan e Reino Unido) têm um representante cada.

1º Lugar – United States Department of Health and Human Services (EUA)

Embora seja um departamento do governo federal para proteger a saúde dos cidadãos americanos e regulamentar serviços, parte significativa dos seus recursos se destina a pesquisas científicas.

Entre os destaques da instituição estão o Serviço de Saúde Pública dos EUA, que ajudou a erradicar o vírus da varíola, e o Instituto Nacional de Pesquisa do Genoma Humano, que desempenhou um papel fundamental no mapeamento do genoma humano.

TOTAL DE PATENTES REGISTRADAS: 790

2º lugar – Fraunhofer Society (Alemanha)

A sociedade que emprega mais de 26 mil funcionários investe anualmente U$ 2,2 bilhões do orçamento em pesquisas.

Os principais campos de atuação são segurança e proteção, energia e recursos, mobilidade e transporte, produção e fornecimento de serviços, comunicação e conhecimento, saúde e meio ambiente.

TOTAL DE PATENTES REGISTRADAS: 1.910

3º lugar – CEA (França)

A Comissão de Energias Alternativas e Energia Atômica da França (CEA) é uma instituição pública de pesquisa especializada em energias nucleares e renováveis, defesa, segurança, tecnologias da informação e saúde.

Os projetos desenvolvidos pela CEA vão desde a construção de embarcações nucleares até a melhoria da segurança cibernética do país. Possuem acordos de pesquisa com 55 universidades e escolas em todo o mundo.

TOTAL DE PATENTES REGISTRADAS: 2.508

4º lugar – Japan Science & Technology Agency (Japão)

A agência é uma das principais instituições de pesquisa do Japão e foi responsável pela implementação da política de ciência e tecnologia no país.

As pesquisas do JST se concentram principalmente em: inovação verde, inovação em alimentos, meio ambiente e saúde, nanotecnologia e materiais, informações e comunicações e ciência e tecnologia para a sociedade

TOTAL DE PATENTES REGISTRADAS: 319

5º lugar – Agency for Science Technology and Research (Cingapura)

A Agência de Ciência, Tecnologia e Pesquisa de Singapura (estilizada como A * STAR) é uma agência do setor público, que foi criada em 2002 como Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia.

As principais inovações da A*STAR estão na área de saúde, entre elas, um teste rápido para síndrome respiratória aguda.

TOTAL DE PATENTES REGISTRADAS: 881

 
A lista completa pode ser visualizada no site da Reuters.
* Todas as patentes citadas foram registradas entre 2012 e 2017.


+ RANKINGS MUNDIAIS

Ranking elenca os países com a Coca-Cola mais cara. Brasil está em 43º

Ranking mundial de vazamento de dados em 2018

15 pólos de inovação mundiais


 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS