Inteligência Artificial pode determinar se o crush vai dar certo

Mais uma da série “parece ficção mas é real”: o aplicativo lê a troca de mensagens via WhatsApp para determinar se há interesse

Por: - 1 mês atrás

Se você tem aquele problema de enviar uma mensagem para alguém que gosta e não recebe respostas ou, tem uma percepção ambígua sobre as reações e nem sabe se aquela pessoa está mesmo afim de você, seu dia de alegria chegou. Alguns aplicativos recém-lançados possuem a capacidade de analisar as conversas por motores de inteligência artificial e machine learning para definir se seu “crush” está mesmo afim de você.

Caso você já tenha navegado na seção Experiência da Consumidor Moderno, vai saber que sempre trazemos exmplos advindos da ficção. Aqui, faremos um paralelo com Black Mirror, da Netflix. Bom, antes de mais nada, gostaria de introduzi-los ao episódio Hang the Dj da segunda temporada. Em uma jornada alucinante que te deixa sem saber o que está acontecendo de verdade, o episódio narra a perspectiva de uma inteligência artificial que testa a compatibilidade com simulações de encontros e de relacionamento. Isso, na série, é uma tortura para aquela “consciência duplicada”. Desculpe o spoiler, mas é um bom comparativo de ficção que virou realidade.

Episódio ‘Hang the DJ’ da série ‘Black Mirror’

O app Mei é definido como uma assistente virtual de relacionamentos na loja oficial de aplicativos Android, a Google Play. O software desse “inocente aplicativo” analisa conversas do WhatsApp (apenas deste mensageiro), através da função exclusiva dele para exportar o chat log (histórico de conversas).

A inteligência artificial pode ser sua conselheira amorosa

O criador do app, Es Lee, em uma conversa com um amigo sobre uma relação amorosa, percebeu que a pessoa em questão estava interpretando de maneira errada as reações do outro. Ele destaca que “tempo de espera pela resposta, uso de exclamações e mensagens seguidas” são sinais para avaliar e medir o termômetro do interesse da outra parte em uma relação afetiva. Com base nessas definições, ele desenvolveu o aplicativo que, agora, usa machine learning para aprimorar a análise.

A versão do iOS só tem apenas uma função: determina em uma escala de 0 a 100 qual a probabilidade do “match” amoroso. Para baixar o aplicativo é preciso usar a App Store/Play Store internacional e pagar uma quantia considerável de US$ 9 dólares para adquirir 100 créditos MEI (quantidade suficiente para interpretar apenas uma conversa), é possível comprar outros pacotes com a quantidade suficiente para diversas “sessões”.

Inteligência Artificial

O primeiro aplicativo do criador do Mei se chamava Crushh. A primeira tentativa de Lee prometia definir o interesse em uma escala de 1 a 5 e era tido como “o mais avançado analítico de relações”. Parece que não, né? Isso, pois o aplicativo não perdurou e o desenvolvedor precisou aprimorar a ideia.

Durante a criação do Mei foram desenvolvidos milhares de testes com conversas, onde o software pôde aprender de maneira efetiva o que cada reação significava.

Outras empreitadas

Alguns aplicativos já tinham essa função para medir as chances de vendas com bases em trocas de e-mail. Um deles, o Boomerang, lê conversas do Gmail e Outlook para dar dicas de como melhorar a mensagem antes de enviá-la. O Keigo é outro aplicativo que promete fazer uma analise certeira do comportamento de uma pessoa com base nos tweets e posts em outras redes sociais.

E aí? O que você acha? Será que poderíamos aplicar a IA aos negócios para definir as chances de compra dos clientes em potencial? Algumas lojas do varejo já utilizam termômetros de calor para definir a qual área ou produto, o cliente mais se direciona. Já algumas gigantes do e-commerce utilizam a IA para o atendimento e aprimoramento das interações com o cliente.

Música tema de ‘Hang the DJ’, episódio de Black Mirror.

+ TECNOLOGIAS IMPRESSIONANTES

Zao: o app que usa deepfake para transformar chineses em estrelas de cinema

Seriam os robôs os futuros parceiros sexuais?

Lente de contato com zoom: a mais nova invenção científica