O luxo de experiência

Com projeção de alta, mercado de luxo investe em experiências exclusivas aos seus clientes. Setor automotivo deve perder espaço para o luxo de experiência

O mercado de luxo está menos suscetível a crises. Isto é o que mostra um estudo inédito da Euromonitor divulgado pela LuxuryLab, com projeção de alta de mais de 20% deste segmento no Brasil até 2023 e a recuperação do País ao posto de maior mercado de luxo da América Latina até 2021, caso as previsões se concretizem.

Para os próximos anos, o setor automotivo, um dos mais importantes do segmento de luxo, deve perder o protagonismo para o chamado “Luxo de Experiência” – já que o conceito de “ser” no lugar de “ter” chegou com força e deve impulsionar as áreas de hotelaria, turismo, saúde e bem-estar, alimentação e bebidas, entre outros.

No mundo, vemos uma postura diferenciada das marcas em relação a experiência de compra oferecida ao seu público, o que também já ganhou destaque no Brasil. As marcas devem desenvolver uma razão pela qual o cliente substitua a frase “eu preciso ter isso” para “eu preciso viver isso”.

O Moda Operandi, uma plataforma que concede acesso a coleções completas de grandes estilistas diretamente das passarelas, nasceu do e-commerce e dispõe de dois showrooms exclusivos — um em Nova York e outro em Londres, nos sofisticados endereços de Madison Avenue e Belgravia, onde são oferecidos eventos temáticos, festas especiais e happy hours. A filosofia da marca é a experiência da diferenciação.

A Louis Vuitton mantém em sua flagship, em Londres, o mote da exclusividade. O prédio de três andares, projetado pelo arquiteto Peter Marino, já abrigou exposições de Anish Kapoor, Richard Prince e Takashi Murakami. O primeiro andar é dedicado à moda feminina e calçados, e também abriga uma biblioteca com o que há de melhor em livros de arte contemporânea britânica, bem como obras raras de artistas.

No piso inferior fica a área destinada ao público masculino. No piso térreo podem ser encontrados acessórios e obras originais de nomes como Richard Prince e Takashi Murakami. Já no segundo andar fica a sala reservada a um número restrito de clientes, acessível apenas por convite.

A Kohler, líder mundial de louças e metais sanitários, abriu sua flagship na Alameda Gabriel Monteiro da Silva, em São Paulo. Projetada por mim, a loja tem foco na experiência visual e sensorial de cada ambiente.

Além da flexibilidade da exposição de produtos, como as torneiras que podem ser trocadas e encaixadas nas cubas da preferência do cliente; há ainda uma área para cursos e eventos na cozinha da loja, com pia, utensílios e eletrodomésticos funcionando, e a opção de escurecer o ambiente e descer um retroprojetor para apresentação de conteúdos.

Porém, a grande surpresa está ao fundo da loja, quando descobre-se um ambiente chamado de “Experiência de Banho”. Totalmente funcional, este espaço contempla banheiras, chuveiros com acionamento eletrônico, bancada e bacia num ambiente que literalmente transporta para fora da cidade num momento de pura experiência para o visitante.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS