Homens x Mulheres: quem consome mais pelo Instagram?

Um terço dos usuários do aplicativo compram pela plataforma. Descubra quem são eles, o que compram e quais motivos os levam a consumir na rede social

Por: - 6 dias atrás

Instagram Crédito: Shutterstock

Um estudo feita pela VidMob, plataforma de inteligência criativa, em parceria com a empresa de pesquisa mFour, revelou que mais de um terço dos usuários do Instagram compram direto pelos anúncios da plataforma. Além disso, a pesquisa também identificou gêneros, gerações, produtos mais consumidos e fatores de influência nesse processo.

Quem compra?

A pesquisa apontou que a probabilidade de usuários do sexo masculino comprarem pelo Instagram é 10% mais alta do que entre as mulheres. Eles também são mais criteriosos: 75% compram de marcas que não conhecem – valor que sobe para 81% no público feminino.

Meninas da Geração Z,  principalmente entre a faixa etária dos 16 aos 19 anos, foram as que apresentaram a maior incidência de compras por meio de anúncios no aplicativo.

Já a Geração X, que engloba mulheres entre os 35 e 45 anos, é a que menos adota esse costume – menos de 40% delas declarou ter comprado algo por meio de anúncios na rede social.

“Os consumidores têm se mostrado bastante dispostos a comprar de marcas que não conhecem se gostarem do anúncio. Isso significa que peças publicitárias que tenham um bom design podem ajudar a colocar marcas novas e tradicionais em pé de igualdade”, afirma Stephanie Bohn, CMO da VidMob.

Mesmo abertos ao desconhecido, o estudo mostrou que o consumidor continua informado: antes de realizar a compra direta na rede social, quase dois terços dos usuários buscam pesquisar mais sobre os produtos e marcas fora da plataforma, enquanto pouco mais de 40% o fazem dentro da própria rede social.

O que compram?

Os produtos mais comprados, tanto por homens quanto por mulheres, são roupas, sapatos e acessórios, sendo eles os preferidos por cerca de 60% do público feminino e mais de 50% do masculino.

A pesquisa também concluiu que homens compram 3 vezes mais produtos tecnológicos do que as mulheres, que por sua vez compram 3 vezes mais produtos estéticos.

Outras categorias populares são viagens, alimentos e ingressos de cinema.

A executiva da VidMob destaca que o Instagram tem se consolidado cada vez mais como um centro de compras à medida que cresce a polaridade dos shoppable ads – anúncios que oferecem venda direta de produtos – e a funcionalidade Checkout, ainda em sua versão beta.

Por que compram?

Segundo o relatório, as mulheres avaliam o preço como principal fator de compra:  já 77% dos homens levam em consideração a aparência dos produtos nos anúncios.

Menos de 20% de todos os entrevistados dizem ter comprado algo após ver influenciadores ou celebridades nas propagandas do Instagram.

Um mercado de possibilidades

Os dados mostram a importância de chamar a atenção na plataforma. No ponto de vista das empresas, acertar nesses detalhes leva a possibilidade de conquistar novos públicos.

Seis em cada 10 consumidores passaram a seguir uma marca que não conheciam na rede após encontrarem um anúncio da empresa do qual gostaram.

O estudo ainda revelou que essa atitude é mais comum entre meninas de 16 a 19 anos. Os públicos que ainda precisam ser atingidos por essa ideia são os de homens entre 35 e 45 anos, que demonstram menos flexibilidade para seguir novas marcas.

Para Miguel Caeiro, head das operações latino-americanas da VidMob, essas tendências estão presentes no mercado brasileiro e as marcas devem ficar bastante atentas à forma com que se comunicam em plataformas como o Instagram, que têm impactado cada vez mais nas receitas das empresas.

“A VidMob chega ao Brasil buscando maneiras de dar às marcas a habilidade de otimizar e mensurar a criatividade de forma que elas criem anúncios verdadeiramente impactantes, de alta performance”, conclui.


+ INSTAGRAM

Threads: testamos o Messenger do Instagram

Instagram libera função de restrição de comentários para combate ao bullying

Como um perfil fictício no Instagram pode ajudar as marcas