Sustentabilidade espacial! Plástico será reciclado no espaço por máquina inovadora

O equipamento é capaz de fazer a reciclagem de plástico em naves espaciais e transformar restos de embalagens em filamentos, em menos de dez horas

Por: - 6 dias atrás

Plástico

Em meio ao aquecimento global, desmatamento e outros assuntos que preocupam e causam debates pelo planeta, uma novidade que pode reduzir impactos no espaço veio à tona. Uma recicladora de plástico, desenvolvida pela Braskem e pela Made In Space – empresa contratada pela Nasa – foi lançada nesta semana.

A máquina é a primeira operação comercial capaz de fazer a reciclagem de plástico em naves espaciais e transforma restos de embalagens em filamentos, em menos de dez horas.

O plástico de fonte renovável foi escolhido por reunir características como flexibilidade, resistência química e reciclabilidade. Há capacidade de imprimir peças e ferramentas em 3D sob demanda aumenta a confiabilidade e segurança de missões espaciais. A recicladora em órbita poderá contribuir, por exemplo, com reposição de peças danificadas e produção de ferramentas sob demanda. Dessa forma, é possível fechar o ciclo do plástico na Estação Espacial, reduzindo a dependência de matérias-primas enviadas a partir da Terra, explica Fabiana Quiroga, diretora de Economia Circular da Braskem na América Latina.

Sustentabilidade para os astronautas

Foto: Divulgação Braskem

Apresentada na Wallops Flight Facility, estação de voos da Nasa na Virgínia, nos Estados Unidos, a recicladora estava em testes desde 2016. Seu tamanho e estrutura lembram um microondas tradicional, com 50 cm de largura, 43 cm de profundidade e 22 cm de altura.

O aparelho tem o objetivo de melhorar o ciclo de consumo no espaço e contribuir para o aumento de autonomia e sustentabilidade das missões espaciais, sendo capaz de moer os resíduos plásticos, fundi-los e produzir um  filamento do mesmo polímero.

O resultado transforma possíveis lixos em matérias-primas para novos itens. Desta forma o equipamento fornecerá material reciclado para a impressora 3D da Estação Espacial Internacional.


Recursos para fabricação local são fundamentais para a exploração espacial. Demonstrar e validar as capacidades de reciclagem na Estação Espacial Internacional são etapas importantes para o desenvolvimento de sistemas de fabricação sustentáveis que vão permitir o avanço nos estudos sobre o sistema solar

Michael Snyder, engenheiro-chefe da Made In Space


A intervenção de astronautas para usar a máquina é mínima, já que o processo de reciclagem é automatizado. Para a empresa brasileira, a ação tem um grande valor de inovação, que vai de encontro aos seus princípios de conscientização com o planeta e com os seus clientes.

Nós acreditamos que a inovação ajuda a melhorar a vida das pessoas, seja aqui na Terra ou no espaço. Na Terra, estamos empenhados num esforço conjunto, que envolve nossos clientes, parceiros da cadeia de valor e a sociedade em geral, para a busca de soluções mais sustentáveis por meio do uso do plástico. Uma delas é o próprio bio-plástico I’m green PE, o primeiro polietileno do mundo feito a partir de fonte 100% renovável, que contribui para redução da emissão de CO2, um dos gases do efeito estufa. E, no espaço, apoiando a Made In Space, temos a oportunidade de contribuir para o aumento de autonomia das missões e otimização do peso transportado, afirma Fernando Musa, presidente da Braskem.


LEIA MAIS 

Pesquisadores criam plástico biodegradável feito de mandioca

Coca-Cola, Nestlé e PepsiCo lideram lista das marcas que mais produzem plástico

13 iniciativas de grandes empresas na luta contra o uso de plástico