Pride Bank: O primeiro banco digital LGBTI+ é brasileiro

O Pride Bank surge da vontade de identificação e personalização no atendimento

O mundo dos bancos digitais não para de fervilhar: agora, chega ao mundo o primeiro banco digital com foco em diversidade e causas LGBTI+. O Pride Bank (“banco do orgulho” em português) é brasileiro e nasce da iniciativa de um grupo de pessoas que já tinham vontade de uma comunicação fluída e personalizada.
“A ideia do Pride Bank surgiu da vontade de criarmos um serviço que não discrimine, não diferencie pessoas por sua orientação sexual, identidade de gênero ou qualquer diferença e, mais do que isso, que festeje essas diferenças, respeitando todas as pessoas LGBTI+  e seus aliados”, declara o CEO Marcio Orlandi Junior

E a vontade do CEO se reflete no modus operandi do banco, que traz a possibilidade do uso de nome social e uma lista maior de gêneros do que nos serviços condicionais. Segundo o banco, essa é uma iniciativa para que “todxs” (todos, em grafia sem gênero) se sintam confortáveis.

O Pride Bank fala a língua de sua comunidade

A comunicação oficial do banco é descontraída e considera especificidades culturais como o pajubá, dialeto culturalmente desenvolvido pela comunidade com origem no norte e nordeste do pais. O dinheiro pode ser identificado como “aqué” ou “arôs” no Pride Bank.
Por enquanto, a novidade é beta e só está disponível para convidados, mas a fintech afirma que o objetivo é oferecer um serviço democrático para todos. É possível escolher entre conta para pessoa física ou jurídica.
Os planos do banco variam com tarifas que vão de R$ 9,99 à R$ 39,99 e inclui ainda alguns serviços extras, como recarga de celular, Uber pré-pago e a operadora de TV por assinatura, Sky.
No site oficial é possível conferir todos os detalhes da conta digital além das causas apoiadas. Na página você pode sugerir alguma causa específica para que o banco inclua na lista de beneficiados.

Medidas do banco para ajudar a comunidade LGBTI+

1 – A cada conta aberta no período BETA, R$ 5,00 reais são direcionados à causas sociais selecionadas;

2 – Lançamento do Instituto Pride, divisão de causas LGBTQI+ da marca;

3 – 5% da receita da instituição irá para o instituto – fomento contínuo para levantar a comunidade;

4 – Através do Welight (empresa de tecnologia social), os correntistas terão acesso à todo o investimento direcionado para causas sociais.

O que está incluso na conta?

Transferências, TEDs, boletos, pagamentos de contas e impostos, maquininha e cartão de crédito pré-pago (segundo o banco, os dois últimos serão adicionados em breve)

JÁ SEGUE A CONSUMIDOR MODERNO NO INSTAGRAM?

 

Ver essa foto no Instagram

 

O primeiro banco LGBTI+ do mundo é brasileiro! O @pridebankbr é um banco digital com foco na comunidade e que reverte boa parte de sua arrecadação em benefícios para ONGs e instituições selecionadas. Confira mais em consumidormoderno.com.br #diversidade #inclusao #pride #orgulho #lgbt #bancos #bancosdigitais #fintechs #startups #dinheiro #economia #noticias #novidades #consumo #consumidormoderno

Uma publicação compartilhada por Consumidor Moderno (@consumidormoderno) em


LEIA MAIS

Entenda a relação entre diversidade nas organizações e resultados financeiros

Google for Brasil celebra diversidade e inclusão 

As tendências do mercado de publicidade para 2020


MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS