Colgate-Palmolive entra no e-commerce B2B para pequenos e médios varejistas

Companhia está usando o mercado brasileiro para testar o novo negócio entre seus distribuidores e clientes. A pretensão é exportar futuramente o modelo para outros países

Crédito: divulgação Colgate-Palmolive

Há mais de 90 anos atuando no comércio brasileiro, a Colgate-Palmolive escolheu o país para lançar um projeto piloto baseado em um novo modelo de negócios. Entra no ar a plataforma de e-commerce B2B da empresa, dedicada em especial aos pequenos e médios varejistas revendedores da marca.

Nos últimos anos cresceu a demanda do mercado corporativo para ter as mesmas facilidades que uma pessoa física tem no e-commerce. Prova disso são os dados de fidelização desses clientes.

Segundo uma pesquisa da Forrester Research, divulgada no ano passado, um e-commerce B2C operando positivamente converte em média 2% de clientes, já um e-commerce B2B tem uma conversão, em geral, mínima de 7%.

Assim, a plataforma da Colgate-Palmolive chega com o objetivo de proporcionar aos parceiros, varejistas e distribuidores flexibilidade e agilidade para o gerenciamento de pedidos por meio de um canal de vendas online disponível 24 horas, durante os sete dias da semana.

Pedro Henrique Costa, especialista de E-commerce da Colgate-Palmolive, acredita que esse é um passo fundamental para o planejamento estratégico da companhia. “Nosso objetivo é ser a melhor empresa de produtos de consumo do mundo. A nova plataforma vai atender cada vez mais as necessidades dos nossos consumidores e fortalecer a parceria com os nossos clientes”, afirma.

divulgação Colgate-Palmolive

A nova área de e-commerce B2B é uma das iniciativas da Colgate-Palmolive que vai ao encontro da estratégia de transformação digital que permeia diversas áreas da empresa: E-commerce, Marketing, Marketing Digital, Trade Marketing, Supply Chain e áreas mais tradicionais como Jurídico, Compras e Finanças.

O projeto entra em cena num bom momento para o modelo B2B no Brasil. De acordo com o Índice Business-to-Business Online (B2BOL) – E-Consulting, a projeção para este mercado é de movimentar 2,39 trilhões de reais em 2019, 17% a mais do que no ano passado.

Além disso, um outro estudo realizado pela GFK Retail Audit revelou que 30% dos pequenos e médios varejistas já repõem o estoque por meio de compras online.

Os primeiros testes do projeto ocorreram em julho de 2018, com um distribuidor da cidade de São Paulo, que colaborou com a companhia ao testar, aprimorar e fortalecer a plataforma.

Na nova fase, o site de compras está disponível em quatro estados: São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Fortaleza.

A intenção da marca é que atingindo resultados positivos no Brasil, o modelo seja exportado no futuro para outros países de atuação da companhia. O acesso ao portal pode ser feito em www.lojacolgate.com.br.


+ ESTRATÉGIAS DE E-COMMERCE

Black Friday: Por que o e-commerce deveria automatizar a gestão fiscal?

Quatro estratégias tecnológicas para o e-commerce do futuro

Spin Pay promete facilitar a venda no e-commerce com pagamentos instantâneos

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS