De que forma as gerações impactam nas estratégias das marcas

Características específicas de cada geração podem ajudar marcas a se posicionarem no mercado e se relacionarem com os consumidores

Foto Pixabay

A forma como os consumidores das mais variadas gerações – Baby Boomers, Geração X, Millennials e Geração Z – interagem e se relacionam devem ser levadas em consideração pelas marcas em suas estratégias e posicionamentos. Cada geração tem suas características, e conhecer, entender e atender a essas diferenças pode ser crucial para uma marca se destacar em um mercado saturado.
Conheça abaixo as principais características de cada geração e veja casos de empresas que adaptaram suas estratégias para atingir públicos específicos:

BABY BOOMERS

A geração nascida entre o fim da Segunda Guerra Mundial e meados dos anos 60 viu surgir o movimento hippie e a corrida espacial. Sua visão de mundo foi moldada pela televisão e hoje é a geração que mais consome meios tradicionais de comunicação, como TV, rádio, revista e jornais. Mas esqueça os estereótipos. Os boomers também são usuários vorazes da internet e sua presença nas redes sociais vem crescendo mais rapidamente do que gerações mais novas, segundo pesquisa da Pew Research Center.
Como consumidores, os baby boomers são leais às marcas tradicionais e relutam em testar novidades. Embora façam compras online regularmente, priorizam o envolvimento pessoal das lojas tradicionais. Segundo pesquisa da Salesfloor, 84% preferem comprar em lojas físicas, e 67% relatam que, se um item desejado está disponível online ou em uma loja próxima, preferem comprá-lo em seu revendedor local do que encomendar online.

Foto Pixabay

De olho no mercado da terceira idade

Para aumentar as vendas online entre os consumidores desta geração, o Taobao, marketplace chinês que faz parte do conglomerado Alibaba, lançou uma versão personalizada do seu app para usuários mais velhos. O objetivo é capturar as compras da crescente população idosa chinesa, de acordo com o site Tech Wire. Para incentivar a adesão da população que não é nativa digital, o app foi projetado para ser mais simples e com menos poluição visual, facilitando a navegação de usuários mais velhos. Ele também pode ser vinculado à conta de um dos filhos do usuário, permitindo que ele pague pelas compras online dos pais.


GERAÇÃO X

A geração pós-baby boomers, das pessoas nascidas entre 1966 e 1981, teve a infância e adolescência marcada pelo fim do movimento hippie, o surgimento do punk, da disco music, da MTV e crises econômicas ao redor do mundo. No Brasil, é a geração que nasceu sob a ditadura militar. Quando o mundo digital apareceu, a Geração X já fazia compras em lojas físicas há anos.
De acordo com estudo da eMarketer, o fato mais notável sobre a Geração X é a extrema lealdade às marcas em que confiam, fora o fato de estarem dispostos a pagar mais por seus produtos. No entanto, estão menos interessados em experimentar novas marcas em comparação com os consumidores mais jovens.
Segundo o Google, a nostalgia é um grande atrativo para usuários da Geração X em relação ao YouTube. De acordo com a gigante, 75% dos integrantes desta geração usam a plataforma para assistir a vídeos de eventos do passado, como comerciais antigos e eventos da cultura pop. As marcas que exploram a nostalgia em sua estratégia conseguem se conectar melhor com este público.

Explorar a nostalgia é lucrativo

A Nintendo, por exemplo, relançou em 2016 o seu console NES, originalmente lançado em 1983. O NES Classic Edition foi um sucesso tão grande que, em junho de 2018, registrou mais vendas nos EUA do que o Xbox One, PlayStation 4 e Nintendo Switch, segundo o site The Verge.


MILLENNIALS

A geração que nasceu entre 1982 e 1999 faz a ponte entre o mundo pré-internet e o conectado. Seus integrantes mais velhos entraram no mercado de trabalho no início dos anos 2000 e muitos sofreram com o colapso econômico de 2008. É a geração que protagonizou o crescimento das startups, o surgimento das redes sociais, a flexibilização da jornada de trabalho e a digitalização da informação.
Os millennials revolucionaram a forma com que bens e serviços passaram a ser comercializados, ficando indiferentes às estratégias tradicionais de marketing e decidindo o que comprar, o que comer e para onde ir com base em fotos do Instagram, recomendações de amigos ou reviews em fóruns online. Essa geração preza pela conveniência das compras online e das entregas rápidas e também pela personalização da experiência de consumo.

Personalização e praticidade

Um exemplo de marca que tem o millennial como foco de sua estratégia é a Birchbox. A empresa foi uma das primeiras a apostar no segmento de assinatura online para enviar mensalmente caixas personalizadas com amostras de produtos de beleza para as assinantes. Neste modelo, reúne algumas das principais características demandadas pelos millennials em uma marca: personalização, exclusividade, comodidade e baixo custo.


GERAÇÃO Z

A Geração Z tem a internet em seu DNA. É a primeira que já nasceu conectada e não conheceu o mundo sem internet. Cresceu assistindo ao YouTube, consumindo vídeos curtos e sendo impactada por influenciadores digitais.
Segundo a pesquisa The State of Gen Z, publicada pela Business Insider, os membros da Geração Z valorizam a transparência, a autenticidade e a responsabilidade social das marcas. Além disso, buscam por produtos e mensagens que refletem a realidade, e não um comercial de margarina. Saem os filtros do Instagram e entram os vídeos sem edição e de “cara lavada” do TikTok. por exemplo.

LEIA TAMBÉM: A Geração Z está matando diversos setores do mercado. E agora?

Responsabilidade social

Marcas jovens, nativas digitais, que prezam pela transparência e pela preocupação com a cadeia de produção e responsáveis socialmente são admiradas pela Geração Z. É o caso da TOMS, marca de sapatos alpargatas que, para cada item vendido em sua loja, um item igual é doado para regiões carentes ao redor do mundo.


GERAÇÃO ALPHA

A mais recente geração compreende crianças nascidas a partir de 2010. Os filhos dos millennials usam smartphones e tablets naturalmente desde o berço e não sabem ou podem imaginar como era a vida sem eles. O uso de comandos de voz é intuitivo e a interação com assistentes virtuais e inteligência artificial é natural. A experiência online/offline é totalmente integrada.
Influenciado pelos pais millennials e pelos ícones da Geração Z, esse grupo é caracterizado por valores éticos e de inclusão social. De acordo com a J. Walter Thompson Intelligence, marcas como Mattel já estão adotando esses princípios para atrair a geração Alpha. Em setembro de 2019, a fabricante da Barbie anunciou que lançaria o primeiro boneco de gênero neutro para acomodar as mudanças de mentalidade das novas gerações em relação ao gênero.

Foto Pixabay


+ NOTÍCIAS

Millennials, X, Z ou Alpha: a qual geração você pertence?
Como as gerações se relacionam com a comida?
Como as gerações se relacionam com a tecnologia?
O futuro dos aplicativos de mensagens
Os aplicativos favoritos da Geração Z
Aplicativos e jogos mais baixados pelos Millennials

 






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS