C&A é a marca mais sustentável do Brasil

A análise verificou o nível de transparência e sustentabilidade de 30 grandes marcas e varejistas no Brasil; em seguida da C&A aparecem Malwee e Renner

Segundo o Índice de Transparência na Moda, divulgado pelo Fashion Revolution, a C&A é a empresa mais sustentável que o Brasil teve em 2019.

A varejista aparece como a empresa com as melhores práticas em termos de metas sociais e ambientais, além ter uma boa relação com os diretos humanos, justiça trabalhista e quesitos salariais. Dos pontos avaliados, a C&A atingiu 64%. Nenhuma marca atingiu 100%.

Na sequência aparecem Malwee com 55%, Renner com 52%, Osklen com 49% e Havaianas com 47%.   De acordo com os dados, os resultados não são positivos, já que houve um avanço mínimo em relação ao ano passado.

“Observamos que 47% das empresas divulgam a descrição do processo de avaliação das instalações dos fornecedores, normalmente realizado por meio de auditorias especializadas. Há uma melhora muito pequena nesse resultado, em comparação a 2018, que indicava 45%. Em relação ao Índice global de 2019, que aponta 88% para esse indicador, notamos que a média brasileira está consideravelmente baixa”, expôs o relatório.

Fonte: Fashion Revolution

POUCA EVOLUÇÃO

No total, cada empresa poderia atingir 250 pontos. O relatório tem como objetivo ampliar o debate sobre transparência, sustentabilidade, valores sociais e estimular a cultura de prestação de contas nas marcas.

Sobre o resumo das descobertas das avaliações das instalações de fornecedores, quase não houve evolução nesse cenário em relação ao ano de 2018, onde 20% das marcas divulgavam essas descobertas no nível 1, 15% além do nível 1 e 5% no nível de matéria-prima.

“Apenas 20% das marcas compartilham o resumo das descobertas das avaliações das instalações de fornecedores no nível 1 e além do nível 1, enquanto somente 1 marca (3%) divulga essas informações sobre seus fornecedores de matéria prima”.


 RESULTADO TOTAL 

Fonte: Fashion Revolution


LEVARAM PONTOS POSITIVOS AS MARCAS QUE DIVULGARAM:

Como os fornecedores são avaliados de acordo com as políticas das marcas √

O processo de avaliação para contratar novos fornecedores √

A frequência em que as avaliações são conduzidas (ex: a cada 12 meses) √

Se as avaliações são anunciadas, parcialmente anunciadas ou não são anunciadas √

Se as marcas conduzem avaliações de fornecedores além do nível 1 √

O número de trabalhadores entrevistados durante o processo de avaliação √


 MAIS VISIBILIDADE

Os tópicos analisados foram de informações públicas  das empresas que se enquadraram em cinco categorias: Rastreabilidade, Políticas e Compromissos, Governança, Conhecer, Comunicar e Resolver e Tópicos em Destaque.

Segundo André Melman Trê, do Investidores com Causa, a divulgação do relatório é de extrema importância para que os consumidores e as marcas tenham consciência e valorizem a visibilidade entre as empresas.

“Para vivermos juntos em uma economia saudável e justa, precisamos de visibilidade sobre o que estamos nutrindo. Visibilidade sobre os efeitos dos nossos investimentos e compras nas relações humanas, visibilidade destes efeitos nos rios, mares e biomas. Quando podemos ver o que estamos criando, podemos escolher mudar o rumo, a partir do que queremos realmente nutrir no mundo.”


LEIA MAIS 

Adidas, Reebok e Patagonia estão entre as marcas mais transparentes

Colchões são produzidos com fibras de garrafas PET resgatadas dos oceanos

Como as marcas podem se posicionar em relação à sustentabilidade?

Não basta vender. É preciso encantar


MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS