5 lições profissionais que fizeram Scarlett Johansson a mais bem paga do mundo

De blockbusters, como “Os Vingadores”, a filmes mais cult como “A Marriage Story”, nova-iorquina é a número 1 da lista da “Forbes” pelo segundo ano consecutivo

Pobre do jornalista que for despreparado para uma coletiva em que Scarlett Johansson esteja presente. A internet está cheia de vídeos de respostas sarcásticas da atriz para repórteres que falam sobre suas roupas, seu corpo, seu cabelo ou seu sex appeal nas telas.

Dona de uma personalidade poderosa, a nova-iorquina é, pela segunda vez nos últimos dois anos, a atriz mais bem paga do cinema mundial. Faturou 230 milhões de dólares no ano passado e só para atuar no último filme da saga Vingadores, que estreou em 2019, seu cachê foi de 35 milhões.

De olho nessa bem-sucedida trajetória, listamos 5 possíveis razões para a atriz de 35 anos figurar no topo atualmente – além de seu talento para atuar, é claro. Acompanhe:

1. VERSATILIDADE NAS INTERPRETAÇÕES

Em 2019, mesmo ano em que reapareceu nos cinemas como a heroína Viúva Negra, na megaprodução Vingadores Ultimato, Scarlett também foi a estrela de dois outros filmes bem mais intimistas. O primeiro deles é A Marriage Story, longa-metragem produzido pela Netflix que acaba de entrar no catálogo do streaming e narra a história dolorida de um casal jovem que está se separando. Dirigido por Noah Baumbach, foi muito bem recebido pela crítica especializada e deve ser um concorrente forte na temporada de premiações que se seguem a partir de janeiro. Já na produção Jojo Rabbit, vencedora do People’s Choice Award, interpreta uma jovem que vive na época da Alemanha nazista. O nazismo é retratado com humor negro e a recepção do filme foi polarizada. A interpretação de Scarlett, no entanto, seguiu sendo elogiada.

Scarlett JOhansson

Cena do filme “História de um Casamento”, da Netflix

2. SER POPULAR, MAS COM RESSALVAS

É fato que atuar na franquia mais rentável da história de Hollywood – no caso Vingadores – ajudou muito a encher a conta bancária da atriz. No entanto, porém, ela consegue fazer escolhas acertadas e dificilmente seus filmes flopam nas bilheterias. Tanto que para 2020 ela deve estrelar seu primeiro longa-metragem de super-heróis sozinha. Viúva Negra, o filme, tem gerado grande expectativa em torno da audiência e deve ser uma prova de fogo para saber se Scarlett consegue levar gente o suficiente aos cinemas dentro do gênero. De qualquer maneira, o prestígio que já possui como atriz contribui para a aposta de sustentar um filme de ação sozinha.

3. FUGIR DOS ESTEREÓTIPOS

Em entrevistas recentes, Scarlett já falou que procurou escapar conscientemente dos papéis sensuais que, muitas vezes, limitam a carreira das atrizes a um único tipo de personagem. A prova de que conseguiu é o modo como transita pelos diversos gêneros cinematográficos – do drama à ficção científica, passando até pela comédia. Entre os filmes de destaque de sua carreira, nas mais variadas áreas, estão a ficção futurista Lucy (2014), o drama cult Her (2013) –  no qual atuou apenas emprestando a sua voz para uma inteligência artificial – o drama de época A Outra (2008), em que interpretou Maria Bolena e a comédia Vicky Cristina Barcelona (2008). Em nenhum desses filmes, Scarlett Johansson repete os elementos principais das personagens que interpreta.

4. TRABALHAR COM DIRETORES RENOMADOS

De Sofia Coppola até Woody Allen, passando por Spike Jonze, Brian De Palma ou Christopher Nolan… A carreira de Scarlett é invejável no que se refere à experiência no set com diretores ou roteiristas já consagrados. De novo, as escolhas muito bem feitas de carreira garantiam a ela versatilidade nos papéis e visibilidade mesmo quando não é a protagonista do longa-metragem. Só com Woody Allen foram três filmes na carreira – e isso quando o cineastas estava no auge. Impossível dizer que não esses filmes não impactaram positivamente em sua trajetória.

5 ENTRE A PRIVACIDADE E A OPINIÃO CERTEIRA

A vida pessoal da atriz não costuma atrair mais atenção do que seus acertos na carreira – ainda que haja muita curiosidade em torno dela. Scarlett já se casou duas vezes e está partindo para a terceira união – desta vez com o comediante norte-americano Colin Jost. Flagras de paparazzi são raros e a atriz costuma fazer aparições certeiras apenas quando está divulgando seus filmes. Também colabora para a sua popularidade, o fato de não se furtar de falar sobre assuntos polêmicos, como a defesa do movimento #MeToo e, ao mesmo tempo, dizer que trabalharia sim outra vez com Woody Allen, de quem é amiga pessoal. Ainda que tenha recebido diversas críticas pelo comentário, para a revista Vanity Fair ela falou: “Não sei mais coisas que os outros, apenas que tenho muita proximidade com Woody. É meu amigo. Mas não tenho mais percepção do que a minha própria relação com ele”. Ou seja, ninguém poderá dizer que esse sucesso todo também não é resultado de sua personalidade autêntica.

Mesmo assim, vale lembrar que como atriz mais bem paga do mundo, Scarlett Johansson ainda ganha 130 milhões de dólares a menos que o ator mais bem pago da mesma lista da Forbes. Dwayne Johnson, o The Rock, fechou 2018 com 360 milhões de verdinhas em caixa. Prova de que a igualdade de salários ainda está bem longe, mesmo quando se trata de cifras milionárias.


LEIA MAIS

Cantora mais bem paga do mundo faturou 185 milhões de dólares em 2019
Coringa, o palhaço sem rosto: a melancolia de Narciso






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS