Marfrig lança hambúrguer vegetal mirando flexitarianos

Empresa quer atingir consumidores que tentam diminuir o consumo de carne. Produto à base de soja fará parte do cardápio do Outback

Não, flexitarianos não são pessoas que trapaceiam ao tentar seguir uma dieta vegetariana. São pessoas que querem aumentar o consumo de refeições à base de plantas sem eliminar completamente a carne.

Pensando nesse público, a Marfrig lançou sua marca própria de hambúrgueres vegetais, a Revolution Burger. À base de soja, o produto se assemelha ao hambúrguer bovino em aparência, textura e sabor, embora ainda seja possível notar diferenças substanciais. A ideia é atingir tanto as pessoas que comem carne como os vegetarianos.

O lançamento da Revolution é um passo na estratégia da Marfrig de ampliar seu portfólio de produtos de alto valor agregado e  oferecer ao consumidor opções que se adaptem a seus hábitos de consumo, paladar e conveniência.

Leonardo Pereira, diretor de Marketing da Marfrig, afirma que o mercado de flexitarianos ainda é pequeno, mas ressalta: “este é um processo de comprometimento da Marfrig em dar opções para o consumidor”.

A marca será comercializada em supermercados e restaurantes no começo de 2020. A Marfrig desenvolveu um hambúrguer exclusivo para o Outback. A receita entrará no cardápio da rede ainda no primeiro bimestre do ano que vem.

Rebbel Whopper, hambúrguer vegetal do Burger King produzido pela Marfrig / Foto: Reprodução

Esta não é a primeira vez que a produtora desenvolve um hambúrguer exclusivo para uma rede de restaurantes. Em setembro a empresa anunciou uma parceria com o Burger King para a comercialização de um lanche com hambúrguer vegetal.

Os consumidores devem encontrar o hambúrguer vegetal primeiro no Outback e na rede Almanara. Outras redes de food services estão negociando com a Marfrig, mas a empresa não abriu quais são. Cada restaurante que acrescentar o hambúrguer ao seu cardápio deve ganhar uma versão exclusiva do produto.

Nos supermercados a novidade deve ser lançada um pouco depois. A expectativa é que o produto esteja nas prateleiras ainda no primeiro trimestre de 2020, mas um pouco depois do lançamento nos restaurantes.

Mas a linha Revolution não deve ficar restrita ao varejo brasileiro. A Marfrig já tem agendado para janeiro um carregamento para a China. Europa e América no Sul também estão no radar para a exportação, mas ainda não há acordo fechado. “É uma marca que funciona no mundo inteiro”, justifica Pereira.


+ INOVAÇÃO

Empresas lideradas por inventores são mais inovadoras

Os dez maiores fracassos de tecnologia da última década


MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS