Vai mudar de país em 2020? 10 passos de organização para carimbar seu passaporte

Morar fora do Brasil é o sonho de muita gente – mas esse passo exige preparação para o desejo não se transformar em uma furada

Existem alguns passo-a-passos comuns quando o assunto é mudar de país. A decisão exige coragem, é verdade, mas talvez o mais importante seja a preparação com antecedência. É o que recomendam agências e sites especializados no assunto.

Não importa se para estudar ou para trabalhar, ou somente para viver um novo lifestyle, a mudança exige organização e até um pouco de autoconhecimento para deixar sua zona de conforto. Se buscar uma experiência fora do Brasil é o seu desejo para 2020, fique de olho nas sugestões abaixo. Vale a leitura antes de cruzar a fronteira:

1. PESQUISE, PESQUISE, PESQUISE
Às vezes o candidato à mudança de país tem uma visão romântica ou fora da realidade sobre o lugar onde quer morar. É importante – se você já tem uma ideia do país ou mesmo da cidade – saber como a vida funcionará por lá. Descobrir alguns aspectos culturais, como é o clima, ver datas festivas, estudar o mercado de trabalho e até como as pessoas costumam se vestir ou se comportar é importante. Com a internet, essa pesquisa é bem mais fácil e já dá para ter uma ideia geral do que esperar. Não tenha preguiça de passar horas pesquisando.


2. BUSQUE INFORMAÇÕES EM SITES SEGUROS
Sites do governo de cada país ou das cidades costumam ter boas infos técnicas, por exemplo. Se você já fala o idioma do lugar para onde vai se mudar, buscar jornalistas ou blogueiros como referência em viagem ou no lifestyle ajuda a se localizar melhor. Se a ideia é morar em uma grande capital norte-americana ou europeia, por exemplo, fica mais fácil achar reportagens antes de partir. Não confie em qualquer fonte de notícia e tente sempre cruzar informações para saber se o que está escrito lá é verdade ou lenda urbana.


3. GRUPOS DE CONVERSA NO FACEBOOK SÃO UM TRUNFO
Buscar esse tipo de espaço de conversa na rede social pode ajudar a ouvir relatos de quem já mora no lugar e entender um pouco como é a “real life” por lá. É importante levar em consideração, no entanto, ouvir pessoas que busquem mais ou menos o mesmo objetivo que você. Se sua ideia é estudar, por exemplo, converse com alguém que também mudou de país para fazer graduação ou mestrado. Se o objetivo é ficar pouco tempo e fazer um curso livre mais rápido, o perfil de com quem conversar é outro. Mas lembre-se que a experiência de cada um é individual depois que deixa seu país de origem e não serve de regra para como as coisas vão acontecer com você.


4. TER UMA POUPANÇA EM DINHEIRO É IMPORTANTE
Para essa alteração de vida ficar mais tranquila, faz diferença manter um dinheiro em caixa, independentemente do câmbio que você usará. Parece uma dica óbvia, mas ter essa reserva significa manter uma rede de segurança caso aconteça algum imprevisto, como ter que comprar uma passagem de volta por motivos fora do seu controle. A previsão de gasto precisa levar em conta também se você vai alugar um quarto apenas ou um apartamento; se vai sozinho ou com a família – ou até levar o cachorro. Sites como o Numbeo ou Expatistan ajudam a fazer esse cálculo. E há bancos em que é possível abrir uma conta online para transferir dinheiro do Brasil para o Exterior.


5. CUIDE DA SUA SAÚDE ANTES DE IR
Dentista, clínico geral, oftalmologista, ginecologista, cardiologista e exames preventivos… Atualizar o registro de vacinas. Tudo isso é importante se a proposta é morar fora. Se você já toma remédios que precisam de receitas, recomenda-se traduzi-las e viajar com caixas a mais. Agências que ajudam a achar cursos no Exterior, em geral, também informam sobre seguro de saúde para quem mora fora. Lembre-se que em determinados países como os Estados Unidos, o atendimento médico é pago – e mesmo se você for embora do país depois, a conta chega para pagar.


6. SE POSSÍVEL, CONHEÇA A CIDADE ANTES
Se você já é um viajante, que tal passar uns dias no local onde deseja viver futuramente? Essa é uma medida que demanda dinheiro extra, é verdade, mas se o seu planejamento tiver dois anos, por exemplo, é possível explorar a cidade num primeiro momento e transferir-se para ela no futuro. Desta forma você já conhece pessoalmente melhores bairros, descobre o esquema de locomoção pública ou particular, fica sabendo quanto custa gastos como mercado ou aluguel, entre outras coisas importantes para a mudança definitiva. Também é um teste de adaptação.


7. VISTOS, CERTIDÕES, CIDADANIA E TODOS OS DOCUMENTOS
Essa parte burocrática é onde muita gente se enrola. Tire um tempo para pesquisar exclusivamente sobre esse assunto e, se possível, peça ajuda para agências especializadas ou se informe nos consulados. Já imaginou se depois de toda a preparação para morar em uma outra cidade você fica retido na imigração do país porque não tem como comprovar que vai viver lá por falta de algum documento? Em tempos de questões migratórias à flor da pele em muitos países, certifique-se que você está fazendo tudo certo. Não há “jeitinho” para resolver o assunto sem uma grande dor de cabeça depois. Faça uma lista para não deixar nada para trás.


8. FECHE UM LUGAR PARA FICAR ANTES DE CHEGAR
É bem comum ter problemas com a hospedagem, mesmo usando ferramentas como o Airbnb ou o Uniplaces, um site que aluga quartos mundo afora. O mesmo pode acontecer até com casas de família organizadas via agência de intercâmbio. Então, leia o máximo de reviews que puder e prepare-se para ter jogo de cintura, caso o local não corresponda ao que você esperava. Encontrar apartamentos para alugar, à distância, pode significar dor de cabeça e é fácil cair em alguma roubada. Deixe para fazer contratos longos quando chegar na cidade.


9. DESPEÇA-SE DAS PESSOAS QUE IMPORTAM PARA VOCÊ
Nem todo mundo curte fazer grandes despedidas ou contar para muita gente que vai mudar de país. Se você está na turma dos mais tímidos, informe quem você gosta de que está de partida para manter os vínculos. Família e amigos próximos talvez já saibam de seus planos, mas é bacana avisar outras pessoas que, no futuro, podem manter contato e até ajudar com indicações para trabalhar à distância, dependendo da sua área de atuação.


10. ARRUME AS MALAS E BOA VIAGEM
Lembre-se que se você está começando uma nova jornada, muitas coisas fiquem para trás. É um bom momento para dar aquela limpeza geral na casa, no quarto, no guarda-roupa. Ver o que realmente é importante para você, já que não será possível levar tudo. No fim das contas, também será um exercício de desapego. E fique de olho: algumas companhias aéreas mudaram a franquia de bagagem de 32kg para 23kg. Ou seja, se a mala estiver muito pesada, você pagará pelo excesso. Cheque com a empresa pela qual vai viajar. E, ao final de tudo, relaxe. É hora de recomeçar.


+ TURISMO

Efeito “perrengue chique”: o que as cidades estão fazendo para conter excesso de turistas
Pesquisa mapeia tendências de viagem e turismo de cada geração
Os destinos de viagem que devem ser tendência em 2020
Consumidor pode remarcar viagem para praia atingida por óleo, diz Procon SP
Férias: saiba como funciona o seguro viagem




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS