Inteligência artificial está redefinindo o papel do gerente nas empresas

Trabalhadores acreditam que os robôs são melhores que seus gerentes para fornecer informações imparciais

A automação e a inteligência artificial irão revolucionar o ambiente de trabalho nos próximos anos. Inúmeros postos de trabalho serão eliminados e outros tantos criados para lidar com a transformação tecnológica das empresas. O cargo de gerente é um dos que sofrerá mudanças significativas, segundo pesquisa da Oracle, em parceria com a consultoria Future Workplace, que mostrou que as pessoas confiam mais nos robôs do que em seus gerentes.

A pesquisa, realizada com funcionários, gerentes e líderes de RH em 10 países, descobriu que os trabalhadores acreditam que sistemas de inteligência artificial são melhores que seus gerentes em fornecer informações imparciais, organizar os turnos e horários de trabalho, resolução de problemas, gerenciamento de orçamento e avaliação da performance da equipe.

Por outro lado, estes profissionais levam a melhor nos quesitos empatia, mentoria e promoção da cultura corporativa.

O resultado da pesquisa indica que os gerentes deverão se concentrar mais em suas habilidades interpessoais do que na execução de tarefas técnicas, uma vez que trabalhos administrativos normalmente executados por gerentes já estão sendo feitos por meio de sistemas de inteligência artificial.

O grau em que as pessoas confiam mais nos robôs do que em seus gerentes varia de região para região, segundo a pesquisa.

A Índia tem o índice mais alto (90%), seguida pela China (88%), Cingapura (84%) e Brasil (79%). Os níveis de confiança foram significativamente mais baixos em economias mais consolidadas, especificamente nos EUA (57%), França (56%) e Reino Unido (54%).

“Nos últimos dois anos descobrimos que os funcionários se tornaram mais otimistas ao adotar a inteligência artificial no local de trabalho. O estudo mostra que a IA está redefinindo não apenas o relacionamento entre funcionário e gerente, mas também o papel do gerente em um local de trabalho orientado pela IA. Com base nas descobertas, os gerentes permanecerão relevantes no futuro ao se concentrarem em usar suas habilidades pessoais, deixando as habilidades técnicas e tarefas de rotina para os robôs”, afirma Dan Schawbel, diretor de pesquisa da Future Workplace.

gerente

Otimismo sobre inteligência artificial

A pesquisa também avaliou a opinião dos trabalhadores sobre a crescente presença da inteligência artificial na rotina de trabalho.

Ao contrário do temor comum de que a inteligência artificial irá acabar com empregos, os entrevistados pela pesquisa estão adotando a tecnologia com otimismo.

Segundo a pesquisa, a IA já é usada por pelo menos 50% dos trabalhadores pesquisados, em comparação com 32% em 2018. Trabalhadores na China (77%) e Índia (78%) adotaram a tecnologia em massa, enquanto França (32%) e Japão (29%) seguem tímidos na inovação.

No Brasil, 32% dos entrevistados pela pesquisa se mostram animados com perspectiva de trabalhar ao lado de robôs e de sistemas de inteligência artificial. O índice é de 60% na Índia e 56% na China, os dois países com mais entusiastas da tecnologia.

A pesquisa da Oracle e da Future Workplace, uma empresa de pesquisa que prepara líderes para recrutamento, desenvolvimento e engajamento de funcionários, entrevistou 8.370 funcionários, gerentes e líderes de RH em 10 países, incluindo o Brasil, entre julho e agosto de 2019.


+ NOTÍCIAS

Senado mantém veto a revisão humana nas decisões tomadas por robôs
Robotização: o trabalho humano ainda tem espaço?
Robôs podem ter aparência humana ou não?

 

 






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS