Satélites: Entenda a corrida da internet extraterrestre

SpaceX trava uma batalha pelo domínio da conexão mundial de internet. Entenda

Conexão online baseada no sinal de satélites orbitais não é uma novidade. Durante anos, esta tem sido a oportunidade de moradores rurais e remotos ao “World Wide Web”. Agora, as coisas esquentam com uma corrida espacial pelo domínio de uma indústria com muitas melhorias a serem implantadas. A Starlink, companhia da SpaceX e a OneWeb (startup que promete revolucionar o setor) travam uma batalha pela disseminação de frotas de satélites na órbita terrestre.

A Starlink lançou nos últimos anos cerca de 122 satélites e em 2020 promete fazer cerca de 25 lançamentos com grupos de 60 satélites cada. Uma empreitada que pode levar a empresa a ser a maior em número de satélites na órbita da Terra.

A “quase inovação” dos satélites

Apesar de ser uma tecnologia nada nova, há limitações: existe uma grande aderência em áreas rurais, mas a internet via satélite ainda é cara e não entrega o desempenho de uma conexão via fibra ótica. Isso se deve à baixa quantidade de parafernalha espacial e terrestre que possibilite uma conexão que possa ser acessada de todos os lugares do planeta.

Com os investimentos feitos pelas duas companhias – antes colaboradoras e agora concorrentes – a expectativa é a de que a distribuição dos novos equipamentos facilite a conexão. A Starlink, por exemplo, tem trabalhado em antenas receptoras que conseguem rastrear o sinal dos satélites de qualquer localidade, além de desenvolver um manto orbital com sua frota que garantiria a possível cobertura em literalmente qualquer localização.

No caso da OneWeb, os esforços são um pouco menores, mas há estratégias diferentes na construção de sua tecnologia. No entanto, a companhia necessita do sucesso em sua operação para continuar existindo, visto que seu core business é o objetivo maior de levar internet para os 3 bilhões de seres humanos que ainda não o possuem.

Para a SpaceX/Starlink o sucesso da operação é essencial no objetivo principal do conglomerado de Elon Musk: colonizar Marte. A implantação das conexões via satélite facilitaria a comunicação entre “habitantes” de ambos os planetas.

Aqui pelo Brasil algumas companhias oferecem internet via satélite para empresas ou civis rurais e interioranos. Dentre elas está a HughesNet, conhecida internacionalmente pelo seu serviço e originada em Maryland, nos Estados Unidos.

Os detalhes dos lançamentos da SpaceX, que terá sua estreia neste 6 de janeiro, poderão ser acompanhados ao vivo pelo YouTube. Assista, em tempo real, abaixo:

 


5 big techs para ficar de olho na nova década

Tesla: Roadster já completou primeira volta ao redor do Sol

Isso é muito Black Mirror: Elon Musk anuncia “chip cerebral”


MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS