Com aquisição da Chain, Almaviva aumenta sua participação no setor financeiro

Multinacional italiana investiu R$ 90 milhões para ter o controle das operações da Chain, que antes pertencia ao Bradesco

A Almaviva do Brasil concluiu nesta terça-feira (14) a aquisição da Chain Serviços e Contact Center. Com o movimento, a multinacional italiana deve ter crescimento de pelo menos 25% na receita em 2020.

A compra dá à Almaviva:

  • operação de serviço de atendimento ao cliente e telecobrança;
  • 3 escritórios;
  • 3 mil PAs (posições de atendimento);
  • Sistema operacional da Chain;
  • 5,5 mil funcionários

Para comprar a Chain, a Almaviva precisou desembolsar R$90 milhões. A transação foi aprovada em outubro pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômico). O Bradesco foi o último dono da Chain.

Expansão do portfólio

A aquisição faz parte da estratégia de crescimento da Almaviva. No ano passado a empresa teve aumento de 3,14% no faturamento. A alta em 2020 deve ultrapassar os 25%, se contabilizado o crescimento orgânico.

De imediato, o movimento representa um aumento da participação no setor financeiro para a Almaviva. A longo prazo, a empresa poderá explorar a expertise da Chain para atrair outros clientes do setor.

Hoje, a Almaviva atende 30 empresas. Sete desses clientes começaram a usar os serviços da italiana no ano passado. A aquisição pode ajudar a turbinar esse número.

Com 37,5 mil funcionários, a Almaviva é a segunda maior empresa de relacionamento com o cliente do Brasil, atrás apenas da Atento, que emprega 75 mil pessoas.


+ ALMAVIVA

Carrefour, Netflix, iFood e AlmavivA: empresas que antecipam o que o consumidor quer
AlmavivA: As vantagens da união entre tecnologia, humanos e dados

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS