Os 10 elementos que fazem de você um Supertraveler

Nunca houve tantos viajantes no mundo. Site especializado em turismo revela como é o mindset de quem prioriza o ato de viajar – mas foge do rótulo de turista

Deixar o trabalho de lado por uns dias, colocar uma roupa na mala e cair na estrada – ou embarcar num avião – é uma atividade que se democratizou muito nos últimos dez anos. Viajar de férias, a trabalho ou simplesmente sair por aí em um sabático era algo difícil para a maioria da população mundial há cerca de 50 anos.

No mundo atual, no entanto, o turismo é uma das áreas que mais cresce como business – e cidades como Paris ou Barcelona, ou até o pico do Himalaia – sofrem com o excesso de visitantes em suas altíssimas temporadas.(Falamos sobre isso por aqui. Dá uma olhada…)

VOCÊ VIU? 5 tendências que vão impactar a indústria do turismo em 2020

Esse aumento constante do número de viajantes deu origem também a uma classe especial – os Supertravelers – como são chamados pelo site Skift.com, um especialista global quando o assunto é o mercado de viagem. O portal se dedica a mapear compras, tendências e comportamentos de quem carrega malas para cima e para baixo. E de acordo com eles, o Supertraveler pode ser qualquer um porque essa categoria tem muito mais a ver com o mindset, ou seja, o seu jeito de pensar a experiência de deixar sua própria casa para trás e cair na estrada, do que com quantas vezes você viaja em um ano.

Acha que pode se encaixar nessa label? Então confira uma lista com os top 10 elementos que fazem um viajante qualquer ser, na verdade, um Supertraveler:

1. Busca por autenticidade e inspiração: fugir dos óbvios pontos turísticos e querer dicas e conselhos verdadeiros sobre onde ir e o que fazer faz parte dos interesses de quem está nessa categoria;

2. Pesquisar, planejar e descobrir coisas novas não são um incômodo para o Supertraveler. Tudo isso faz parte da experiência de viajar e ele curte fazê-las;

3. Superviajantes querem recompensas reais por sua lealdade a empresas da área de turismo – em outras palavras, companhias aéreas, cartões de crédito, marcas de milhagem, receptivos, etc. Truques ou dificuldades para ser recompensado afastam esses consumidores;

4. Quem é considerado Supertraveler viaja para enriquecimento pessoal. Por isso mesmo, conhecer outras pessoas e compartilhar experiências dessas jornadas são tão importantes quanto a viagem em si;

5. Sair do comum é um desejo primordial de quem pertence a essa categoria. Roteiros e experiências únicas são essenciais, mas é preciso também pensar em continuidade para eles. Ou seja, não são aventureiros de um destino só;

6. O Supertraveler quer consumir marcas que se importem genuinamente com eles e com as comunidades com a qual procuram se relacionar. Como já é tendência no marketing atual, as causas são extremamente relevantes para esse tipo de viajante;

7. Viajantes experientes e constantes querem ajuda nas partes mais complicadas de suas jornadas – mas isso não significa que não queiram descobrir seu próprio caminho de fazer isso. De novo, tudo faz parte da experiência;

8. Tecnologia e conectividade são elementos importantes para os Supertravelers, porém não podem sobrecarregá-los na jornada. Deixar de fazer algo porque está sem internet faz parte do show e está tudo bem;

9. Viajantes desse tipo valorizam muito mais o elemento humano do que uma experiência comoditizada e impessoal. Ou seja, resorts pasteurizados estão fora da lista dos roteiros de desejo;

10. Quando volta para casa, o Supertraveler quer se sentir inspirado e transformado pelas experiências dos dias que passou em viagem. Essa sensação é uma das mais importantes e um elemento fundamental para a próxima jornada.

E aí, se identificou? Você também é um Supertraveler?


+ SOBRE VIAGENS

Cerimônias para tomar chá e viagens de bem-estar são tendências de wellness

Como as gerações mais jovens estão moldando o futuro das viagens

Os 20 destinos de viagens mais procurados para 2020


MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS