Fugindo da malhação? Apple quer premiar quem vai constantemente à academia

Inciativa focada no Apple Watch está sendo testada apenas nos Estados Unidos; ainda não há menção da chegada do programa no Brasil

Se alguém te recompensasse para não escapulir das aulas na academia, esse seria um incentivo maior para não faltar? Certamente sim! Ao menos é a teoria que a Apple quer testar, os Estados Unidos, ao fazer parcerias com redes gigantes de estúdios de ginástica. Já para os “viciados” em exercícios físicos, a existência de recompensas deve atrair ainda mais o usuário para ter o Apple Watch. (Sacada de marketing, será?)

O programa chamado Apple Watch Connected quer unir a imagem do acessório da marca à do fitness de uma vez por todas. Para tanto, a partir do fim de janeiro, clientes das academias Crunch Fitness, BaseCamp e Orangetheory, nos Estados Unidos, que possuam o Apple Watch poderão ganhar descontos e acumular cartões-presente, de acordo com a participação no programa.

Ele é válido em território norte-americano, mas apenas para franquias determinadas pela Apple. Para isso, os espaços de ginástica deverão instalar uma plataforma específica, cujo aplicativo interno repassará as informações direto dos Apple Watches.

Através do aplicativo Crunch Apple Watch, o público fitness poderá se inscrever nas aulas e registrar os treinos. Seguindo a integração do Apple Watch Connected, os estabelecimentos poderão oferecer prêmios com base na frequência e nas atividades executadas por seus alunos. Quem for ativo se beneficiará mais – e a contagem de batimentos cardíacos pode ajudar a descobrir isso.

De acordo com o site de tecnologia Fast Company, as academias participantes não precisarão pagar nada para entrar no projeto Connected. Segundo a Apple disse para a publicação, o interesse é ver mesmo seus usuários mais ativos.

Mas um outro detalhe vêm junto com a proposta: quem aceitar entrar no programa de recompensas precisa pagar com o Apple Pay, portanto, é preciso garantir que tanto alunos quanto estabelecimentos possuam essa modalidade de pagamento ativa. Com isso, a Apple lucra através das taxas que cobra para a utilização do serviço.

De acordo com o CEO da Apple, Tim Cook, foram realizadas mais de três bilhões de transações no Apple Pay durante o quarto trimestre de 2019. Inicialmente, o programa Connected Watch estará disponível apenas em locais selecionados, no entanto, a ideia é expandir lentamente ao longo de 2020. Ainda não há menção da chegada do programa no Brasil.


 

Aplicativo da Apple TV+ chega aos aparelhos da LG

Apple, Amazon e Google se unem para criar padrão universal para “casas inteligentes”

A estratégia das empresas de utilities para evitar a inadimplência


MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS