Quanto a indústria de games evoluiu com os smartphones?

Games são um dos maiores players do mercado mobile, movimentando US$ 86 bilhões ao ano. Democratização de smartphones impulsionaram setor, segundo estudo

(Foto: Shutterstock)

O levantamento The State of Mobile 2020, do App Annie, apurou o impacto dos dispositivos móveis nas indústrias e economia global — com destaque para os games.

Em 2019, o uso de celulares bateu recordes mundiais. Para se ter ideia, o Statista mostra que o número de usuários de smartphones subiu de 2,9 bilhões para 3,2 bilhões de 2018 a 2019 – número que deve crescer até o fim de 2020.

games

(Foto: Shutterstock; Edição: Flávio Pavan)

Democratização dos games: jogar onde quiser, na hora que quiser

Graças aos smartphones, os videogames se tornaram muito mais acessíveis e democráticos. Antes, ter um console portátil era uma vantagem para poucos; agora, é possível transportar os jogos favoritos no próprio bolso, iniciando partidas em qualquer lugar.

Os games agora representam 72% de todos os gastos em lojas de aplicativos. Analogamente, US$ 86 bilhões foram gastos em jogos de celular em 2019 — lucro 25% maior que todas as outras plataformas combinadas, como PC, consoles, portables etc. Segundo estimativas, os números devem subir para US$ 100 bilhões até o fim de 2020.

Duelo de Titãs: Battle Royales X jogos casuais

games

(Foto: Shutterstock)

O Battle Royale FreeFire, concorrente de Fortnite, foi o jogo mais baixado de 2019 na categoria não-casuais. 

Segundo o estudo, usuários de casual gaming, como puzzles, arcades e social gambling, tendem a deletar e trocar de app com frequência. Por esta razão, desenvolvedores desses gêneros se beneficiam de portfólios extensos, mantendo, assim, uma base de usuários engajada.

Já os games que demandam tempo de aprendizado, ou alta competitividade, tem menor movimentação de instalações e desinstalações: são responsáveis por 18% dos downloads nas app stores, contra 82% dos casuais. 

Outro concorrente de FreeFire e Fortnite, PUBG Mobile, foi o jogo número um em tempo gasto em Androids em 2019. Isto mostra que, mesmo perdendo em instalações para os casuais, os mais complexos conseguem reter suas bases por mais tempo.

Games como plataforma de propaganda

Em 2019, os jogos de celular foram mais usados como veículo de publicidade do que nunca. 

Embora tenham sempre andado de mãos dadas com a propaganda, os games mobile proporcionam novas formas de engajamento com anúncios veiculados. O estudo menciona a exibição de vídeos em fullscreen como atraentes para os anunciantes, além do redirecionamento direto para download na store.

MoPub, plataforma de propaganda entrevistada pelo App Annie, cita que os gastos em anúncios de vídeo têm subido 180% todos os anos, graças às boas taxas de retorno desse formato.

Da mesma forma, 74% do investimento feito em 2019 com DSP (publicidade automatizada em apps) foram feitos em aplicativos de jogos.

games

(Foto: Shutterstock)



Fortnite: entenda a obsessão da Geração Z
O futuro do segmento de Esports no Brasil e no mundo
Qual foi a empresa que mais faturou com a venda de games em 2018?







MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS