Centauro compra a Nike no Brasil

Varejista terá exclusividade na distribuição de produtos da marca norte-americana. Acordo tem duração de dez anos e envolve todos os canais de venda da Nike

Foto: Unsplash

O Grupo SBF, dono da Centauro, anunciou hoje a compra da representação da Nike no Brasil. O negócio faz com que o grupo tenha exclusividade na distribuição de produtos da marca norte-americana no Brasil por dez anos.

A Centauro vai desembolsar R$ 900 milhões para ter o controle da Nike por aqui. As ações da brasileira dispararam na bolsa após a divulgação do negócio.

A negociação dá à Centauro quotas de capital social da Nike e capital de giro, incluindo o estoque e lojas. Direitos de propriedade intelectual continuam a pertencer à Nike.

Todos os canais de venda, lojas físicas e e-commerce, passam a ser operados pela SBF. Para isso, ela atuará como uma holding. Centauro e Nike serão unidades de negócio diferentes.

“Nos últimos anos, fizemos uma série de investimentos em diversas frentes e, principalmente, em tecnologia e multicanalidade, o que nos possibilitou avançar expressivamente no nosso setor e nos transformar em uma plataforma do esporte. Estamos muito entusiasmados com a oportunidade de servir ainda mais a comunidade esportiva por meio de uma marca tão poderosa. Seguimos comprometidos com a missão de aprimorar o ecossistema do esporte no nosso país através de diferentes caminhos e modelos de negócios”
Pedro Zemel, CEO da SBF

O anúncio da compra da Nike no Brasil acontece nove meses após a tentativa fracassada de comprar a Netshoes, adquirida pelo Magazine Luiza. O Grupo SBF chegou a oferecer mais de R$ 350 milhões pela varejista de artigos esportivos, mas o Magalu cobriu a oferta.

Por que a Nike encerrou suas vendas pela Amazon?
Saiba como serão as lojas do futuro, segundo Nike e Walmart
Nike Inc vende Hurley após 18 anos de parceria
Nike reinaugura loja em Tóquio e integra unidade ao aplicativo

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS