ARTIGO: A experiência do cliente: lazer ou consumo?

Tania Zahar Miné mostra como a experiência de uma viagem pode servir de inspiração para encantar os clientes nas lojas físicas

Foto: Unsplash

Neste mês de janeiro estava de férias com minha família em Londres. E, como estudiosa dos hábitos do consumidor, pude comprovar de perto como passeios turísticos em museus, castelos, palácios, estádio de futebol e estúdio da Warner são estruturados para proporcionar uma experiência inesquecível às pessoas.

Storytelling, recursos audiovisuais, painéis digitais interativos, dispositivos digitais, gamificação, opções de tours com tempo de duração a gosto dos clientes. Resumindo: um verdadeiro aparato para atrair a atenção e engajar os visitantes, que muitas vezes estavam mais entretidos com seus smartphones.

Os consumidores demandam interação e sua atenção é disputada por diversos estímulos, como comunicação das marcas, oferta hipersegmentada de produtos e serviços, redes sociais.

Essa tendência “catch me in seconds” foi apontada no estudo da Euromonitor  Top 10 Global Consumer Trends 2020 e representa um desafio em todos os segmentos de mercado para profissionais de marketing, vendas e de comunicação.

Ficamos surpresos com algumas experiências que marcaram nossa estadia em Londres. Dentre elas a visita ao Museu da Guerra, que exibe permanentemente as Galerias da Primeira Guerra Mundial, uma viagem histórica sob a ótica do Reino Unido.

A vivência foi bem rica, pois fomos imersos no contexto daquela época por meio de recursos audiovisuais: cenografia, painéis digitais, objetos históricos, uniformes, armamento, diários, fotos, simulação de uma trincheira e diversas curiosidades.

Tudo isso foi construído por meio de uma narrativa envolvente da sangrenta batalha do rio Somme em 1916, que além do relato dos fatos reais, expôs um continente estarrecido com a evolução tecnológica das armas e seu poderio mortal.

Ficamos pelo menos uma hora nessa jornada. Não percebemos o tempo passar e terminamos a visita com a exposição sobre o Holocausto, que nos emocionou com as atrocidades cometidas contra os judeus na segunda guerra mundial.

O turismo de experiência está revitalizando museus, restaurantes e diversos tipos de passeios mundo afora. O que era apenas contemplativo tornou-se uma verdadeira experiência sensorial.

Se você está procurando inspiração para engajar seus consumidores ao propósito da marca ou criar experiências diferenciadas é bom consultar e pesquisar novas referências dentro e fora de seu segmento de atuação. E assim, a cada dia que passa, lazer e consumo tornam-se intrinsecamente mais próximos.


7 tendências que vão movimentar o varejo em 2020
6 tendências de consumo para a nova década

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS