Pessimismo de CEOs sobre crescimento econômico global atinge recorde

Incertezas sobre crescimento econômico, regulamentação governamental excessiva e conflitos comerciais são as principais ameaças, segundo pesquisa

Os CEOs das grandes empresas do mundo nunca estiveram tão pessimistas em relação à taxa de crescimento econômico em 2020, segundo pesquisa da PwC realizada em 83 países com 1.581 líderes executivos, dentre eles 64 brasileiros.

Lançada no Fórum Econômico Mundial, em Davos, no fim de janeiro deste ano, a 23ª Pesquisa Anual Global de CEOs da PwC explora como os CEOs das maiores empresas do mundo veem a expectativa de crescimento econômico de 2020 e quais os principais desafios e ameaças do ano.

De acordo com a pesquisa, em apenas dois anos, a visão dos CEOs sobre as perspectivas da economia global mudou drasticamente.

Fazendo um recorte dos executivos brasileiros, o pessimismo em relação ao crescimento econômico é um pouco menor: apenas 45% acreditam que a taxa de crescimento irá cair em 2020. Os executivos mais pessimistas estão na América do Norte (63%), Europa (59%) e Oriente Médio (57%).

Por outro lado, o número de CEOs que projetam um aumento na taxa de crescimento econômico caiu de 42% em 2019 para apenas 22% em 2020. No Brasil, a expectativa é ainda menor, com apenas 19% prevendo uma retomada da economia.

O maior otimismo em relação à economia é visto na Ásia, com 35% dos entrevistados prevendo crescimento. Dentre os executivos brasileiros pesquisados, 36% acreditam que em 2020 a situação continuará igual à de 2019.

“Dada a persistente incerteza sobre as tensões comerciais, questões geopolíticas e a falta de acordo sobre como lidar com as mudanças climáticas, a queda na confiança no crescimento econômico não é surpreendente – mesmo que a escala da mudança de humor seja”, disse Bob Moritz, presidente global da PwC.

Pessimismo de CEOs

As principais ameaças para o crescimento

Para entender o que motiva a previsão pessimista da maioria dos executivos entrevistados, a pesquisa também apresenta as principais ameaças e desafios para as perspectivas de crescimento das empresas. Globalmente, as ameaças apresentadas foram a regulação excessiva dos governos, guerras comerciais e incerteza sobre crescimento econômico.

Dentre os executivos brasileiros, o cenário é um pouco diferente. As ameaças ao crescimento das empresas mais citadas, para os executivos brasileiros, são: incerteza sobre crescimento econômico, aumento dos impostos e incerteza tributária.

Outros desafios listados nas respostas dos executivos ao redor do mundo foram as ameaças cibernéticas, incerteza política, velocidade de mudanças tecnológicas, populismo e protecionismo.

Embora a mudança climática não apareça entre as dez principais ameaças às perspectivas de crescimento para os CEOs, eles parecem ter entendido as vantagens de tomar medidas para reduzir as emissões de carbono em busca de um desenvolvimento mais sustentável.

Comparado a uma década atrás, os CEOs atualmente têm duas vezes mais chances de “concordar veementemente” que o investimento em iniciativas sustentáveis melhora a reputação da empresa (30% em 2020 em comparação com 16% em 2010).

Apesar de a visão geral dos executivos para a economia em 2020 ser mais pessimista, o presidente global da PwC vê alguns caminhos que as empresas podem tomar para manter o crescimento.

“Mudanças na tecnologia, na política e no comportamento do consumidor criarão novas oportunidades de sucesso para as organizações ágeis, capazes de desenvolver capacidades diferenciadas na área de privacidade de dados, qualificação e sustentabilidade”, afirma Bob Moritz.

Pesquisa global mostra índice de confiança de CEOs
Conheça a história de 5 CEOs de grandes varejistas
CEOs de grandes empresas revelam seus livros favoritos






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS