As construções arquitetônicas mais controversas do mundo

Da Califórnia à Índia, passando por Paris, obras são resultado de arquitetos que seguem o Brutalismo: conheça seis lugares construídos dentro dessa tendência

Gosto não se discute, certo? Bom, ainda bem que essa máxima vale, pois para arquitetos que seguem a linha do #BRUTALISMO na hora de conceber suas obras mundo afora, o significado de bonito pode ser bem diferente daquele ao qual estamos acostumados. O termo contempla, em geral, prédios em formas geométricas ou angulares feitas de concreto aparente. Quem revela essa maneira de ver o mundo é o site Fodors.com, uma referência em lifestyle e viagem no mundo todo. A publicação online listou algumas das construções que mais chamam a atenção dentro dessa vertente e separamos aqui seis delas para você conhecer.

BIBLIOTECA GEISEL

Esse prédio todo vazado não poderia de forma alguma estar fora da lista. Aberta em 1970, na Universidade de San Diego, na Califórnia, a construção tem uma aparência um tanto desoladora para uma região dos Estados Unidos conhecida por ser luminosa e animada. Segundo o site, o projeto pretendia que o prédio parecesse mãos segurando uma pilha de livros. As janelas de vidro refletem o céu – e o local tem ares de ponto de encontro extraterrestre se visto de longe, jamais uma biblioteca. De qualquer forma, já se tornou uma atração no campus.

TRIBUNAL DE CONTAS DE SÃO PAULO

Quem mora no Brasil, mais especificamente na cidade de São Paulo, já está acostumado a ver esse edifício. Projetado pela empresa Afalo y Gasperini, o prédio concluído em 1976 se apoia em colunas de concreto – e segundo o site, dá até a impressão de que não vai suportar o peso das salas acima. O design deixa a parte debaixo da construção livre para estacionamentos e áreas verdes.

EMBAIXADA DA RÚSSIA, EM HAVANA

O local russo em Cuba parece uma dessas construções tiradas de filmes de James Bond – ou, nas palavras do site – a alcova de algum vilão de cinema. Terminada em 1987, nos últimos anos de existência da União Soviética, sua estrutura foi comparada a forma de uma espada – ou de uma seringa. O fato é que o enorme prédio destoa de Havana, conhecida por ser uma cidade colorida.

APARTAMENTOS HABITAT 67

Localizados no Canadá, mais precisamente em Montreal, as estruturas assinadas pelo arquiteto israelense Moshe Safdie são a visão física da controvérsia. Construídos para a Expo Montreal de 1967, a ideia do design era mostrar os apartamentos como uma rede interconectada de células pré-fabricadas. Goste ou não, a imagem deste condomínio é realmente muito peculiar.

PRÉDIO DO BANCO DE LONDRES Y AMÉRICA DEL SUR, EM BUENOS AIRES

Destoando totalmente das fachadas neo-clássicas que tomam conta do centro da capital argentina, a construção é daquelas de causar impacto com os buracos no cimento tão aparentes. Mais elegante que alguns outros edifícios de design Brutalista, sua existência causa estranheza, mas se comparada a outras criações do estilo, acaba até se tornando a mais bonita entre elas.

TRIBUNAL SUPERIOR DE PUNJAB E HARYANA, NA ÍNDIA

Situado na cidade indiana de Chandigarh, o prédio agora é um Patrimônio Mundial da UNESCO. Projetado pelo lendário arquiteto suíço-francês Le Corbusier, possui colunas coloridas e um teto duplo, criado para proteger a construção tanto do sol fervilhante, em tempos de verão, como da temporada de chuvas da região. Segundo a Fodors, ele pode até não ser belo, mas sua praticidade é confirmada.



Uma lista de hotéis fora do comum. Você se hospedaria?
Consumidores gastaram US$ 195 milhões em aplicativos de meditação em 2019
Insights globais do Google para as empresas em 2020


MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS