Uber se posiciona contra o preconceito em nova campanha

Em ação corajosa, empresa se posicionou em prol das mulheres, LGBTQs e pela segurança dos motoristas

A maioria das grandes marcas soltam grandes campanhas de comunicação no período de #CARNAVAL. Desta vez, após diversas polêmicas recentes, a Uber tomou uma posição corajosa que muitas empresas até hoje não tiveram a ousadia de fazer: posicionar-se claramente contra preconceitos sociais.

As peças de outdoor da campanha trazem frases claras como “Você é do bloco dos assediadores, racistas e LGBTfóbicos? A Uber não é para você.”

Não à toa a campanha promoveu uma chuva de comentários nas redes sociais com mensagens para passageiros e motoristas sobre respeito mútuo. Seria a iniciativa uma maneira de combater diversos casos de assédio, agressões e desrespeitos corriqueiros que acontecem durante corridas?

Dias antes da iniciativa, duas amigas transexuais foram expulsas de um carro da Uber por um motorista que supostamente não queria levá-las ao destino por conta da identidade de gênero das passageiras. A situação ganhou as redes após o post de um deputado distrital de Brasília, onde ocorreu o incidente. Como resolução e retratação, a Uber decidiu então desligar o motorista da plataforma.

Um conjunto de ações coerentes

“Segurança é nosso principal objetivo. Queremos que todas e todos se sintam tranquilos em qualquer interação utilizando o app da Uber e o respeito é uma premissa fundamental para isso: não toleramos assédio, discriminação e ofensas. Como empresa comprometida com a diversidade e a inclusão, temos um Código de Conduta que reflete esse compromisso.  Por isso, ele é uma parte importante da nossa plataforma e convidamos todos a conhecerem seu conteúdo”, ressalta Luciana Ceccato, Diretora de Marketing para a Uber na América Latina, em conversa com a Consumidor Moderno.

Em 2018, a empresa assumiu um compromisso em relação às problemáticas de violência contra as mulheres. Em parceria com diversas ONGs feministas, as estimativas de investimentos são de R$ 5 milhões de reais nos próximos três anos para o enfrentamento da questão.

Também já foram concretizadas diversas ações voltadas para a inclusão da comunidade LGBTQIA+ e sensibilização contra a discriminação por meio de materiais educativos. A empresa ampliará as temáticas dos podcasts criados em parceria com a Promundo para pautas de orientação sexual, identidade de gênero e raça.

Os motoristas que acessam o conteúdo recebem um selo de “Viagem de Respeito”. Até hoje, mais de 85 mil motoristas ouviram todos os episódios e ganharam o direito de carregar esse selo.

Dica da Uber para reportar algum caso

Depois de cada viagem, usuários e motoristas são convidados a avaliar a experiência. Caso o usuário ou motorista precise reportar algum incidente, a Uber conta com uma equipe de suporte disponível 24/7, que analisa individualmente caso a caso. A denúncia pode ser feita pelo menu de ajuda do próprio app ou pelo site uber.com/ajuda.

Uber, 99 ou Cabify? Qual o app de mobilidade mais bem falado?
Como as marcas tradicionais podem se conectar com a Geração Z?
O que esperar da parceria entre Nike e Centauro?






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS