Planejando com sucesso: 8 tendências no e-commerce para 2020

O e-commerce pode gerar grandes resultados positivos para um negócio. Diante disso, veja as tendências previstas para o setor durante o ano

Com o avanço da internet muitas barreiras foram rompidas e atualmente a presença online é essencial para que um negócio tenha um bom desenvolvimento e consiga potencializar sua marca, relacionamentos e vendas. É nesse cenário que o e-commerce entra em ação.

Conhecido como um comércio eletrônico,  o método hoje está presente em praticamente toda a cadeia comercial. Até mesmo o mercado alimentício, que era um dos mais questionados no passado, entrou para a plataforma de vendas online e é visto como uma grande promessa de faturamento.

“O e-commerce gera praticidade. Em um clique você resolve sua vida. Você não precisa se locomover e tem a possibilidade de visitar 20 lojas diferentes em pouco tempo na sua casa ou onde você quiser”, afirma Thiago Sarraf, CEO do Dr. e-commerce.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Statista, as vendas de comércio eletrônico representaram 14% de todas as vendas no varejo em todo o mundo em 2019, enquanto em 2018, os números simbolizavam apenas 5%.

Com o assunto em alta, há grandes expectativas sobre sua evolução. Em painel ministrado por Thiago Sarraf,  durante a feira ABCasa Fair – maior feira de artigos para casa e decoração da América Latina – o especialista em e-commerce e internet apontou as tendências que estão previstas para o campo durante o ano. Confira os principais #INSIGHTS:

1. REALIDADE AUMENTADA

Crédito: Unsplash

A disputa entre o físico e o online esteve em pauta por muito tempo, mas hoje é evidente que ambos são complementares. Portanto, é importante que as lojas físicas estejam conectadas e valorizem sua marca no espaço digital. A realidade aumentada faz parte disso. A estratégia, além de passar uma imagem inovadora para as empresas, permite uma experiência contextualizada para os clientes.

2. BUSCA POR VOZ

As ferramentas por voz estão cada mais presentes no cotidiano das pessoas. Com o objetivo de facilitar trabalhos e gerar uma acessibilidade muito maior, os assistentes de voz, como Alexa, Google e Siri, estão em alta no mercado e tendem a crescer ainda mais no e-commerce. Afinal, por que perder tempo digitando quando podemos conseguir soluções imediatas apenas por meio da fala?

3. AUTOMATIZAÇÃO DE PROCESSOS

A automatização consiste basicamente em usar a tecnologia e a integração de sistemas e dados para aprimorar o controle e o andamento do fluxo de trabalho. Através de um monitoramento em tempo real ela pode ser utilizada na substituição de atividades manuais. Como exemplo, estão os chatbots, uma das alternativas que estão sendo utilizadas dentro das empresas por auxiliar em um atendimento mais rápido e eficiente.

4. O VÍDEO AINDA É ESSENCIAL

Mesmo não sendo um recurso inovador, o vídeo ainda gera um grande engajamento nos canais eletrônicos e é por isso que sua utilização não é descartável. Quem aplica a estratégia muito bem é a Aliexpress, que disponibiliza na maioria dos produtos de seu site um vídeo de demonstração, que faz toda a diferença para o consumidor que está pesquisando. A imagem tem um poder muito forte, por isso vale a pena investir nesta opção nos canais de compra online, tanto em plataformas internas de vídeo como em um canal no YouTube.

5. CUSTOMIZAÇÃO DE PRODUTOS

A customização de produtos já é utilizada em lojas físicas há algum tempo e agora está migrando para o ambiente digital. Por ser personalizada, ela conversa com o consumidor e incentiva a interação do mesmo. Canais que estão apostando nesta ideia terão um ano com bons feedbacks dos clientes.

6. MAIS OPÇÕES DE PAGAMENTO

Novos meios de pagamento prometem aquecer o mercado este ano e mudar a maneira com que o consumidor se relaciona. Dinheiro físico e cartões de crédito e débito já não são utilizados como antigamente e novas opções que oferecem comodidade, agilidade e segurança estão ganhando espaço. Entre eles estão: pagamentos através de QR code, aproximação e cartões digitais gerados com um simples clique.

7. MARKETING DE INFLUÊNCIA

Atualmente, a maioria dos consumidores encontram-se nas redes sociais. Diante disso, o número de empresas que investem em marketing de influência tem aumentado a cada ano. Isso acontece porque os influenciadores possuem uma audiência engajada, com públicos segmentados que as marcas buscam atingir. A  estratégia está sendo cada vez mais explorada no e-commerce, já que com ela as empresas conseguem captar a atenção desses potenciais clientes e colocar seu produto ou serviço.

8. COMPRAR E RETIRAR EM LOCKERS

Os lockers, conhecidos como pontos de retiradas, que lembram muito as caixinhas de correios,  são uma das grandes apostas do momento. A opção permite que o cliente tenha a experiência de comprar sua casa e retirar o pedido na loja física sem a necessidade de enfrentar fila e perda de tempo. Conhecida como uma integração omnichannel, outra aposta do momento, a utilização de lockers também está sendo muito presente em empresas comerciais. Desta forma, os funcionários conseguem ter um espaço especial para os seus “recebidos”.


10 dados impressionantes sobre e-commerce em 2019
Quatro estratégias tecnológicas para o e-commerce do futuro
Pet é quem manda: rede lança ecommerce com reconhecimento facial para cachorros

E-commerce de alimentos e bebidas: uma mina de ouro quase inexplorada







MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS