Medicina: atendimento humanizado é principal critério de escolha de pacientes 4.0

Nos serviços médicos, os pacientes não abrem mão da atenção e do cuidado no atendimento, mesmo utilizando ferramentas digitais para obter indicações. Entenda

Surpreendentemente, em um mundo digitalizado, as pessoas cada vez mais prezam pelos atendimentos humanizados. Embora a maioria dos serviços como bancos, mercados e restaurantes, estejam disponíveis na palma da mão, uma coisa não muda: ao pesquisar um produto, serviço ou negócio local, as opiniões de outros clientes ainda são critérios decisivos.

No mundo da medicina isso não é diferente. Se antes as indicações eram feitas boca a boca, através de familiares e amigos, agora podem ser obtidas por meio de avaliações na internet.

Uma pesquisa realizada pela Doctoralia, plataforma mundial de agendamento e consultas online, analisou mais de 3,5 milhões de opiniões de usuários para entender os critérios utilizados pelo paciente 4.0 na escolha do médico. E o que foi constatado? No Brasil, muito acima dos outros países investigados, 63% das pessoas procuram pelo atendimento humanizado.

Fonte: Doctoralia

Para Gustavo Comitre, gerente de Produtos de Experiência do Paciente na Doctoralia, o paciente 4.0 é aquele com acesso à informação e interessado em consultar diferentes opiniões, argumentar e discutir até ter confiança que aquela é a melhor decisão.

“É o paciente que vai buscar diferentes profissionais, verificar as opiniões sobre eles, pesquisar sobre sua condição de saúde e, vai querer não apenas uma decisão consentida por seu médico, mas principalmente uma decisão construída e compartilhada. Por isso, o diálogo é fundamental para esse paciente confiar no profissional do outro lado”, explica.

Ainda segundo Comitre, para o brasileiro, o atendimento humanizado envolve mais do que um simples “olá” e chamá-lo pelo nome no início da consulta.

“O lado humano se sobressai quando o médico consegue deixar o paciente confortável no consultório, olhar em seus olhos, fazer com que ele sinta que o especialista se importa com sua saúde e, em especial, ter uma comunicação clara e amigável”, complementa.

É fundamental que o paciente não só compreenda o que foi passado, mas sinta que sua saúde é importante e que mais pessoas estão com ele, seja em um tratamento medicamentoso ou em outro tipo de intervenção.

O estudo da Doctoralia conseguiu identificar também quais são os fatores que deixam a desejar nos serviços médicos brasileiros, o que confirmou mais uma vez a questão da abordagem humana: 37% dos pacientes reclamam da falta de atenção médica e dificuldade de comunicação nas consultas.

Fonte: Doctoralia

Segundo Cadu Lopes, CEO da Doctoralia, as opiniões dos usuários, além de ajudar os outros a escolher um médico na plataforma, contribuem para a compreensão das preferências do paciente digital.

“Nós aprendemos que as pessoas não querem apenas agendar uma consulta, mas que procuram por um profissional a quem confiar e que atenda às expectativas delas. E as opiniões são o melhor jeito de se sentirem confortáveis com um médico antes de agendarem a visita”, afirma.

O mercado da medicina está está em constante transformação e os profissionais estão colocando cada vez mais o paciente em primeiro plano. É importante que os profissionais aprendam a conduzir uma experiência incrível e diferenciada, englobando não só o tratamento médico correto, mas também boa comunicação, pontualidade e atendimento humanizado.


Dicas práticas de como a tecnologia pode auxiliar no atendimento
Cannabis medicinal: tudo que você precisa saber sobre a regulamentação


MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS