Fenômenos naturais pelo mundo que vale a pena conhecer

Veja 5 destinos must-see que comprovam a potência da Mãe Natureza e inspire-se para suas próximas viagens

Quando se fala em viagem ligada a fenômenos da natureza talvez o pensamento mais rápido que possa vir à nossa cabeça seja o de acompanhar a Aurora Boreal, no extremo norte do planeta Terra. Mas os roteiros que privilegiam acontecimentos naturais os quais o homem não tem nenhuma interferência vão bem além do tour em temperatura congelante na Islândia.

Por isso mesmo, o site Fodors.com, um expert quando o assunto é viagem e lifestyle, listou diversos destinos must-see quando o assunto é comprovar a potência da Mãe Natureza. Aqui vai o top 5:

FLORESTAS CONGELADAS NA LAPÔNIA, FINLÂNDIA

O cenário completamente branco, com centenas de árvores congeladas, merece ser visto ao vivo. O passeio exige doses extras de coragem para os brasileiros, acostumados com o ameno inverno dos trópicos. Até porque, a recomendação para se ver o terreno coberto de neve na cidade do Papai Noel é viajar para a Lapônia em sua estação mais congelante. E isso pode significar encarar temperaturas negativas de até -40°C nos meses de janeiro e fevereiro, os mais frios por lá. Aliás, quem quiser conferir o visual de neve total precisa mesmo ficar de olho no calendário. Ao contrário do que se pensa, durante o verão a temperatura pode chegar a mais de 20°C, por exemplo, e aí nada de gelo. Aliás, se o planeta continuar aquecendo como temos visto, será cada vez mais rara a paisagem nevada.

CEREJEIRAS DESABROCHANDO NO JAPÃO, CORÉIA OU TAIWAN

Mais uma viagem que precisa ser bem programada: a temporada de florescimento das cerejeiras, árvore-símbolo de países como o Japão, acontece de meados de março ao início de abril. A agitação em torno da Sakura (como é chamada em japonês) ou Beot-kkot (em coreano) é tão grande, que existem até aplicativos especializados em mapear o florescimento, além de toda uma produção local de doces, coquetéis e rituais de bem-estar acontecer quando chega a data. A dica do site de viagens é: percorra as trilhas Xinshe Cherry Blossom, em Taiwan, ou a Anmin Road em Jinhae, Coréia – este último, um túnel feito apenas de flores. É de impressionar.

VIDA MARINHA BIOLUMINESCENTE DO CARIBE

Aqui é mais um passeio de risco: pode ser que ao mergulhar nas claríssimas águas de algumas regiões do Caribe você encontre esses seres que brilham no fundo do oceano e que certamente são de tirar o fôlego. Em sua maioria crustáceos de corpo translúcido, eles parecem carregar consigo um feixe de neon por onde passam. As regiões onde podem ser avistados, segundo a Fodors.com são a de Vieques, em Porto Rico, e a praia de Sugar Beach, na desconhecida ilha caribenha de Santa Lúcia (point de luxo para milionários), que fica próxima de Barbados e Martinica. Curiosidade: Santa Lúcia foi encontrada por Cristóvão Colombo, em 1502.

SPOTTED LAKE, NO CANADÁ

Localizado na região vinícola do Canadá, no vale Okanagan, esse lago salgado que no inverno não aparenta ser mais do que um espelho d’água convencional, no verão se torna uma piscina com anéis coloridos de amarelo, azul e verde. Como a água diminui, algumas partes do lago cristalizam e as manchas são causadas por depósitos de minerais e que fazem a paisagem ficar quase fantástica. Para a tribo indígena Okanagan, que é a população original da região – e que detém os direitos da terra onde o lago está, as cores têm um valor místico e qualidades medicinais por causa de sua alcalinidade. Não é possível caminhar pelo lago por uma questão de proteção ecológica e natural: ele pode ser apenas contemplado por de trás de uma cerca que mantém os turistas à distância.

CONTEMPLAR A VIA LÁCTEA NA PENSILVÂNIA, ESTADOS UNIDOS

Você pode até já ter olhado as estrelas com algum interesse, mas de acordo com essa dica de viagem, existe um antes e depois de ver o céu Cherry Springs State Park. A floresta localizada na parte noroeste dos Estados Unidos, no estado da Pensilvânia, dá uma visão tão nítida do Espaço que é possível enxergar a Via Láctea de uma forma impressionante. A visão noturna de 360 graus, sem poluição, sem prédios em volta e no profundo silêncio, aumenta o impacto da experiência. A melhor época para ver as estrelas seria o verão, mas o parque está aberto para visitas o ano todo. Agende-se.


Site de viagens lista lugares em que a mudança climática já pode ser sentida
Cerimônias para tomar chá e viagens de bem-estar são tendências de wellness
Novo software do Airbnb prevê psicopatia em usuários






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS