Conheça a fórmula científica capaz de fornecer bem-estar através da música

Segundo pesquisadores, 78 minutos diários de música são capazes de causar efeitos reais de bem-estar. Músicas de Nirvana, Beethoven, Metallica e AC/DC aparecem citadas

Foto (Shutterstock)

Você é daqueles que não passa um dia sequer sem escutar uma musiquinha, ou só se sente bem depois de dar play no Spotify, Deezer ou similares?

Saiba que a explicação para esse efeito pode ser prevista pela ciência – e está mais ligada à compensação e fluxo sanguíneo do cérebro que à nostalgia.

Dieta musical

bem-estar

Foto (Shutterstock)

Cientistas britânicos investigaram os hábitos de escuta de mais de sete mil e quinhentas pessoas para compreender as relações entre música, saúde mental e bem-estar.

O estudo, conduzido pela British Academy of Sound Therapy (BAST) e encomendado pelo Deezer, conclui que devemos consumir, diariamente, músicas que abranjam cinco diferentes modalidades: aumento do ânimo, relaxamento, concentração, controle de tristeza e controle de raiva. 

O ideal, segundo a pesquisa, é que sejam dispensados 78 minutos diários à audição musical dentro dessas cinco categorias. Para ajudar, o Instituto separou os gêneros em intervalos de tempo alocados. Veja abaixo:

Fórmula diária para o bem-estar musical

Informações BASTBritish Academy of Sound Therapy

→ 14 minutos diários de música edificante e indutora de facilidade (18% do tempo)

→ 16 minutos diários de música calmante e relaxante (20,5% do tempo)

→ 16 minutos diários de música para superar a tristeza (20,5% do tempo)

→ 15 minutos diários de música motivadora que auxilia na concentração (19% do tempo)

→ 17 minutos diários de música para controlar a raiva (22% do tempo)

Tunts tunts maneiro

De acordo com os pesquisadores, 90% dos participantes expressaram relaxamento como um benefício emocional ao ouvir música clássica, com o sexto de Beethoven sendo a peça mais citada; já a felicidade foi ativada em 82% dos casos, com a música pop como a mais adequada para provocar esse sentimento; outras emoções experimentadas foram superação da tristeza (47%), concentração (32%) e raiva (28%). A lista de bandas mencionadas com mais frequência no último caso incluía AC/DC, Rammstein, Metallica, Linkin Park e Nirvana

“Existem certas propriedades da música que afetam a mente e corpo. Dedicar tempo todos os dias para ouvir música que desencadeia emoções diferentes pode ter um impacto extremamente benéfico no nosso bem-estar. Ouvir músicas felizes aumenta o fluxo sanguíneo para áreas do cérebro associadas à compensação, e diminui o fluxo para a amígdala, a parte do cérebro associada ao medo.”

Lyz Cooper, fundadora da British Academy of Sound Therapy

As lições de sucesso da Fenty Beauty, a marca de beauté da cantora Rihanna

Você escuta mais músicas de artistas homens ou mulheres?

Pesquisa revela que jovens apoiam marcas que dão suporte à música

Quais são os assistentes de voz mais vendidos e buscados no Brasil?






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS