IDENTIDADES: A tendência de quem prioriza o corpo

Bodybuilder e ex-fisioculturista, Leandro Macedo é apaixonado pelo mundo do esporte e se define como alguém que pode mudar a vida das pessoas

Foto Paulo Reis

“O esporte para mim é vida. Costumo dizer que a sala de musculação e o treinamento são uma válvula de escape. Assim como algumas pessoas que gostam de pescar para desestressar, gosto de ir treinar. Faço isso todos os dias”. Esse é Leandro Lima Macedo, 39 anos, ex-fisioculturista, que há mais de duas décadas se dedica à evolução do corpo, bem-estar e saúde.

A história do profissional reforça um perfil em constante crescimento: o de pessoas preocupadas com a estética do corpo e que não medem esforços para alcançar o objetivo que desejam. É diante deste comportamento que surge uma macrotendência forte entre a população: a AUTO-OTIMIZAÇÃO.

Foto: Paulo Reis

De acordo com Peter Kronstrom, Head LATAM do Copenhagen Institute For Futures Studies, essas atitudes estão interligadas com outras tendências da atualidade, como a comercialização, a individualização, a imaterialização, o desenvolvimento tecnológico, o foco em saúde e a chamada sociedade de conhecimento.

“Esse conjunto de tendências com a auto-otimização começou levemente nos anos 50 e 60, quando alguns grupos começaram a se inspirar na Índia fazendo yoga. No entanto, é mais massivo considerarmos os anos 80, onde a musculação começou a ganhar mais foco e o yoga ficou um pouco mais evidente. Mas foi somente nos anos 2000 que ela realmente começou a virar uma tendência”, explica o especialista.

Para se ter ideia, Leandro se apaixonou pelo universo gym ainda na adolescência. Na época, o acesso ao assunto era difícil, já que a internet não tinha o poder de hoje e as únicas inspirações eram através de revistas americanas que falavam sobre fisiculturismo.

Sem dominar o inglês, ele tentava fazer o possível para absorver algum aprendizado do material que tinha acesso. “Pedia para algumas pessoas que eram donas das academias que eu treinava para que me ajudassem, só que ninguém queria. Porque, na verdade, ninguém queria ajudar ninguém naquela época. Tem uma revista que existe até hoje, a Flexonline, que me ajudou e para eu conseguir saber o básico que estava lá precisei utilizar um dicionário para fazer a tradução. Isso foi entre 1996 e 1997”, relata.

Persistente, Leandro nunca desistiu de ir atrás do que queria e se preparou durante três anos para seu primeiro campeonato com apenas 19 anos. “Em 1999 eu consegui pela primeira vez subir em um palco sozinho”, relembra.

Sem ter uma condição financeira capaz de bancar todos os gastos necessários para seguir a carreira e sem o apoio de familiares, a alternativa de Leandro foi investir em uma dieta saudável e restrita para continuar competindo em outras categorias. Sem saber, ele acabou entrando em um movimento que viria a fazer muito sucesso futuramente.

“Não existe nada que você tome que vá mudar sua vida. A única coisa que você vai tomar que vai mudar sua vida é uma atitude de mudar sua vida virando a chave. Hoje eu me defino como alguém que pode mudar as pessoas”, reforça Leandro, que é enfático ao dizer seu trabalho se resume em reeducação alimentar e muito treinamento.

No entanto, na época em que competiu como fisiculturista, o profissional não nega ter levado o corpo ao limite, mas desconversa sobre o uso de substâncias anabolizantes.

“Não somos como uma pessoa que vai para a academia, faz um treino e vai embora. Fazemos de 8 a 12 refeições por dia, e até 3 treinos por dia. Se o corpo não estiver legal forçamos mais ainda o cardio e tomamos muita água. Na reta final dependendo do atleta chegamos a tomar por dia 22 a 23 litros de água por duas semanas. Isso é levar o corpo ao extremo. Lembro de fazer um cardio com roupa de andar de moto para abaixar meu peso. Fazemos banho de imersão de até 1 hora, em sal grosso, álcool e água muito quente. Dependente do atleta conseguimos tirar de 4 a 10kg em 1 hora.”

auto-otimização

Fotos: Paulo Reis

Dos anos 90 para cá a presença de pessoas focadas na evolução do corpo cresceu. Em contrapartida, acompanhamos o advento de uma auto-otimização mais sensata, com foco em métodos saudáveis e desmistificando o até então rotulado uso de anabolizantes e outras substâncias químicas.

Para Peter, essa tendência permeia tudo atualmente. “Com a expansão do conhecimento estamos cada vez mais conscientes e com mais informações de como cuidar do corpo e como fazê-lo funcionar mais tempo, como otimizar o nosso corpo. Isso permeia comportamento humano o tempo todo e em todas as classes”, afirma.

Hoje especialista em nutrição e fisiologia do exercício e Coach Bodybuilder, Leandro não sobe mais nos palcos – sua última competição foi em 2014 e desde então está focado em uma loja própria de suplementos, na preparação de atletas e em consultorias especializadas em nutrição para quem deseja melhorar seu desempenho. Para ele, não existe fórmula mágica: é necessário “boa alimentação, disciplina e exercícios constantes”.

Mesmo longe dos palcos, Leandro não esconde o desejo em um dia voltar a competir. “Estou nesta área de preparação há mais de anos e vivo isso. O esporte e o fisiculturismo ainda vivem dentro de mim, porque todos os dias eu treino e vivo de dieta. Minha vida é basicamente voltada ao esporte. Se eu tivesse escutado algumas pessoas lá atrás que disseram para eu parar e não seguir meus sonhos eu não estaria aqui”, completa.

Juntamos 7 pessoas do cotidiano que representam o futuro e tendências do aqui e agora que moldarão o amanhã. Ieda, por exemplo, é uma chefe de cozinha da Chapada Diamantina e espalha sua culinária por onde passa. Hoje encanta os paulistas com uma comida tradicional e nordestina em um restaurante que leva seu nome. Por isso impossível não falar de LOBAL, quando o local é muito maior do que o que vem de fora.

Também descobrimos Leandro, preparador de atletas, que muda a vida das pessoas através da AUTO-OTIMIZAÇÃO. Já Urick é púpilo dessa geração de pessoas preocupadas com PRIVACIDADE E PROTEÇÃO DE DADOS. E tem o Fabrício, tão ligado em tecnologia que já fala em uma ROBOTIZAÇÃO DA VIDA.

Sem falar da Renata, que acredita em um mundo em que é possível (e necessário) VIVER MELHOR, assim como a Ana Lúcia, que sabe que número não define nada, que IDADE é EMOCIONAL. E a Júlia? Uma NATIVA ECOLÓGICA que quer transformar o mundo através do ativismo ambiental e na sua crença de um planeta melhor.

Esses são 25 anos da nossa história e é você consumidor que a define. O mundo do consumidor sem rótulos. Um mundo de IDENTIDADES. A cada semana um novo personagem! Conheça nosso manifesto vivo e um evento que moldará o novo olhar sob o consumo e o comportamento na nova década: identidades.consumidormoderno.com.br






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS