Consumidor Moderno

O home office também é uma opção no setor de saúde

Regulamentado há quase três anos, o regime de home office – legalmente chamado de teletrabalho – demorou para ser visto com naturalidade pela maioria das empresas. Muitas delas, contudo, olharam para esse modelo como uma estratégia de sobrevivência diante do surto de COVID-19.

Enquanto isso, havia ainda companhias que sempre viram o trabalho remoto como um recurso a ser utilizado. É o caso da Sharecare, empresa de gestão de saúde integrada e digital, que sempre teve como política incentivar seus colaboradores a trabalharem em home office. Por isto, quando a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou a pandemia do novo coronavírus, a empresa de saúde decidiu que, oficialmente, ofereceria aos colaboradores de atendimento a possibilidade de trabalhar em casa.

A escolha da Sharecare

Nesse momento, a empresa decidiu apostar em uma nova solução. Em parceria com a Nuveto, empresa da qual já era cliente, a Sharecare se tornou a primeira a utilizar o programa “SOS Covid-19”. Baseado na tecnologia da Five9, da qual a Nuveto é representante exclusiva, a solução possibilita a manutenção da produtividade e eficiência da empresa, ao mesmo tempo em que ajuda a preservar a saúde de seus colaboradores, facilitando o trabalho à distância.

“Com todas as notícias sobre o novo coronavírus e seus impactos diretos nos modos de vida diários pessoais e profissionais, trabalhar em casa passou a ser uma necessidade que precisa ser rapidamente atendida por empresas de todo o mundo”, afirma Luís Palermo, CEO da Nuveto. “Nós nos preparamos para auxiliar as empresas a implementarem ou migrarem suas soluções multicanais de relacionamento para a nuvem em poucos dias”.

Tecnologia

A solução da Five9, oferecida pela Nuveto, é baseada em cloud computing. Por isso, a implementação da plataforma ou a migração dos sistemas de relacionamento das empresas acontece com muita velocidade. Isso assegura a continuidade da operação, com agilidade e segurança.

A Nuveto retirou ainda qualquer burocracia para a contratação. A implementação pode ser realizada em um período de três a 30 dias, de acordo com o sistema de cada organização.

Tomada de decisão

A boa relação da Sharecare com a parceira Nuveto já era uma realidade e, como conta Nicolas Toth, presidente da Sharecare, o anúncio da OMS da pandemia motivou a expansão do contrato, o que permitiria também que a empresa de saúde digital atendesse às demandas dos órgãos governamentais de colocar o máximo dos funcionários em home office.

No total são cerca de 270 profissionais da Sharecare que se intercalam para comparecerem ao escritório durante a semana. Desde o dia 16 de março, metade dos especialistas da área de saúde trabalham online em suas residências todos os dias. “A plataforma de contact center na nuvem permite que os colaboradores estejam conectados por softphone e também garante o registro de frequência e presença”, explica o presidente da Sharecare.

Viabilidade

Palermo reforça que o ambiente de contact center reúne muitas pessoas no mesmo espaço – muitas vezes de 500 a mil pessoas em um turno, e é um setor que não pode parar de uma hora para outra, afinal, atende a clientes de serviços indispensáveis, como operadoras de saúde, de telecomunicações e bancos.

Porém, o setor consegue migrar para uma operação home office em poucas horas, mantendo as condições adequadas de trabalho, em especial em um momento turbulento como o atual.

Carga mental: como equilibrar durante o isolamento

Carrefour desenvolve cartilha de boas práticas em combate à COVID-19

10 tours virtuais que você pode fazer pelo mundo durante a quarentena