Empresa afirma prever onde ocorrerá o próximo surto de COVID-19

A Datamir, uma companhia de Nova York, criou uma inteligência artificial capaz de prever com até 15 dias de antecedência onde vai ocorrer o próximo pico de contágio

Crédito: Pexels

Uma empresa com sede em Nova York, nos EUA, afirma ter criado uma inteligência artificial (IA) capaz de prever onde vai ocorrer (leia-se cidade ou estado) o próximo surto de casos do novo coronavírus. A empresa afirma que a IA conseguiu identificar lugares de contágios no Reino Unido e nos EUA com até 15 de antecedência.

Segundo o site da Datamir, a IA se alimenta de postagens e outros dados publicados em redes sociais. “O crescimento de grupos de testemunhas oculares de casos do COVID-19 e que publicam postagens nas mídias sociais permitiu que o algoritmo detectasse pontos de contágio entre 7 a 15 dias de antecedência dos dados oficiais do COVID-19”, informa a empresa.

A IA também captura postagens de pessoas que testaram positivo para o vírus, pessoas que informaram alguns dos sintomas e até aquelas que supostamente tiveram contato com uma pessoa que testou positivo para o vírus, entre outros.

14 estados americanos

Segundo a reportagem da Business Insider, a Dataminr previu picos de contágio em 14 estados diferentes dos EUA. Sete dias depois, todos os 14 estados foram duramente atingidos pelo coronavírus.

“Esses tipos de postagens parecem ser um indicador importante de onde a contagem de casos pode estar aumentando no futuro”, disse o CEO da Dataminr, Ted Bailey em entrevista ao site.

A empresa afirma, no entanto, que a IA não pode precisar com 100% de eficácia onde será a próxima cidade com um grande número de casos. Mas não deixa de ser um avanço importante no combate ao COVID-19.






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS