Amazon atinge maior valor de mercado da história

Varejista se aproveita da alta no comércio eletrônico provocada pela crise do coronavírus

Puxada pelo aumento na demanda pelo comércio eletrônico, que se aproveita do fechamento de lojas e do receio das pessoas em irem a supermercados por causa do novo coronavírus, as ações da Amazon atingiram nesta semana o maior valor de sua história.

Apenas no último dia 14, a alta nos papeis da empresa foi de 4,2%, de modo que a companhia atingiu um valor de mercado de mais de US$ 1,1 trilhão.

Responsável por quase metade das vendas pela internet nos Estados Unidos, a Amazon surfa no aumento das compras online durante a crise do coronavírus. Nos Estados Unidos e na Europa, os principais mercados da gigante do varejo, o comércio online subiu mais de 80% em relação ao ano passado.

Quando a crise passar, é provável que a Amazon retenha clientes que ganhou nas últimas semanas. As circunstâncias fizeram com que muitos americanos começassem a comprar na varejista e confiar em seus serviços.

Nas últimas semanas, a gigante varejista aumentou o número de lojas da Whole Foods – sua rede de supermercados – que oferecem o serviço de entrega. Antes eram 80 localidades, agora são 150.

Mas isto não foi o suficiente. A empresa começou nesta segunda-feira (13) a colocar novos clientes em uma fila de espera para o delivery de alimentos. A prioridade são os clientes antigos e pessoas que estão no grupo de risco da pandemia de COVID-19.

Supermercadistas internacionais colocam clientes em listas de espera online
Lojistas estendem prazos de devolução em meio à pandemia

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS