O papel social dos jogos de tabuleiro durante a pandemia

Jogos de tabuleiro são uma opção lúdica para reduzir a ansiedade social durante a pandemia. Confira as principais sugestões de especialistas

Imagem ilustrativa (Unsplash)

Os jogos desempenham uma função essencial no desenvolvimento social, emocional e cognitivo dos indivíduos. Eles são, inclusive, um dos direitos básicos da infância, garantido pelo artigo 31 da Declaração dos Direitos da Criança: “Os Estados Partes reconhecem o direito da criança ao descanso e ao lazer, ao divertimento e às atividades recreativas próprias da idade, bem como à livre participação na vida cultural e artística.”

Fundamental para a saúde e o aprendizado humano, os jogos sociais podem ajudar a exteriorizar emoções e ensinar pessoas a lidar com desafios e problemas. É o que indica a pesquisa Neuroeducação e Jogos de Mesa, desenvolvida pela Dharma Factory.

O isolamento social têm trazido um novo significado para os tradicionais jogos de tabuleiro. Engana-se quem acredita que eles não têm mais espaço em um mundo digitalizado; lançamentos, criadores, campeonatos e colecionadores de jogos analógicos nunca deixaram de existir. Hoje, o mercado se repaginou, com diversos boardgames sendo criados por plataformas de financiamento coletivo (crowdfunding) ou colaboração coletiva (crowdsourcing). As famosas luderias (bares especializados em jogos de tabuleiros) se espalham pelo país, e as versões online dos jogos clássicos, com múltiplos jogadores, estão sempre recheadas de jogadores ávidos por diversão.

jogos de tabuleiro

Imagem ilustrativa (Pexels)

Cresce a busca por jogos de tabuleiro durante a pandemia

Nuno Felipe Venâncio, Especialista em Jogos de Tabuleiro e Divulgador Cultural da Editora Devir ― multinacional brasileira há 32 anos no ramo de jogos e entretenimento ― contou à Consumidor Moderno que o mercado de boardgames já sente diferença na procura por estes produtos desde que a quarentena foi decretada. “sabemos pelo mercado e pelos nossos próprios clientes que aumentou a procura por tabuleiro, significativamente, nas lojas online”, explica Nuno. 

Segundo o especialista, lojistas que anteriormente não investiram em um bom comércio online estão em uma situação bem complicada, graças ao novo estilo de consumo imposto pelo coronavírus. Já as marcas que sempre investiram em uma gestão de vendas online estão em situação melhor ― e possivelmente até vendendo mais. “Neste momento, no comércio online, quem é forte está se dando bem no tabuleiro (…) Estamos dando uma força nas redes sociais da Devir para as lojas que vendem online”, diz.

Da mesma forma, Tomás Queiroz, fundador e game designer da Cordilheira Games ― empresa brasileira dedicada a produzir jogos de tabuleiro de qualidade Premium diretamente em território nacional ― concorda que os jogos de tabuleiro estão tendo uma maior procura durante a pandemia, uma vez que são uma ótima opção para se distrair com a família.

Ele explica que uma procura maior não necessariamente reflete em mais vendas, visto que muitas pessoas estão com o dinheiro contado nesse momento. Por outro lado, outros serviços oferecidos pela Cordilheira Games, como aulas de game design e mídias digitais estão crescendo. “Nosso serviço de aulas particulares e outros conteúdos focado no desenvolvimento de jogos tem tido uma procura maior. Estamos com mais visualizações no nosso canal e mais turmas do que nunca.”

Muito além da diversão

Em relação ao papel dos jogos de tabuleiro durante o isolamento, tanto Nuno quanto Tomás compartilham a ideia de que eles não são apenas um passatempo, mas também são aproximadores humanos e estimuladores do pensamento crítico.

“É um tempo de qualidade presencial, que as pessoas ganham de volta. Você vê na pandemia que elas não estão acostumadas a conviver umas com as outras, e o jogo de tabuleiro ajuda muito na convivência; nos ajuda a respeitar o próximo, respeitar regras diferentes, nos leva para um lugar como em um livro, em que você abstrai da realidade para tirar a sua cabeça das coisas. O seu cérebro está trabalhando a seu favor, te ajudando a compreender um monte de coisas, trabalhando as competências e habilidades que os jogos desenvolvem.”

Nuno Felipe Venâncio, Especialista em Jogos de Tabuleiro e Divulgador Cultural da Devir

“Historicamente os humanos usam os jogos para passar por momentos de crise. Viver outras realidades, dentro dos jogos, nos ajuda a lidar com a nossa situação. E além de jogar, as pessoas podem se aventurar na parte de criação de jogos (…) Acredito que o papel dos criadores de jogos é mais importante do que nunca, dando uma válvula de escape para todas as pessoas vivendo essa situação difícil.”

Tomás Queiroz, Fundador e Game Designer da Cordilheira Games

jogos de tabuleiro

Confira abaixo sugestões dos especialistas sobre o que jogar na pandemia

Dicas de Nuno Felipe Venâncio

Catan ou Carcassonne

“Acho que Catan é o melhor jogo em família. É um jogo que não tem combate, não tem discussão; é um jogo de negociação, em que você não rouba e não prejudica o oponente. Só que ele tem que ser jogado a partir de três pessoas. Se é um casal na pandemia eu não sugiro ele. Sugiro aí o segundo jogo, que é o Carcassonne. É um jogo como se fosse um dominó, só que com castelos e estradas. Você tem uns personagens que coloca no seu castelo e estrada para dizer que é sua. É um jogo fantástico, muito legal para jogar nessa e em outras épocas. Esses dois jogos têm campeonatos brasileiros e mundiais também. Apesar de serem jogos não muito competitivos eles têm um lado competitivo no campeonato, mas são bem familiares.”

Ilha Proibida e jogos cooperativos

“Indicaria também os cooperativos, onde todo mundo trabalha pela mesma coisa. Ilha Proibida [por exemplo], onde todos estão em uma ilha e têm que juntar cinco relíquias e fugir juntos. É um jogo cooperativo muito legal, em que se precisa de todos para chegar em um objetivo em comum.”

Código Secreto – Dueto 

“O Código Secreto – Dueto dá para jogar a partir de dois até dez jogadores. É um jogo muito legal para se ter em casa. Ele trabalha muito o cérebro, linguística e empatia. Ganhou muitos prêmios, é um sucesso e tem várias versões.”

Sushi Go

“Sushi Go é um jogo muito bom. É um joguinho de carta, em que você trabalha a memória. É um jogo bem divertido de planejamento e estratégia, é relativamente barato, vem em uma caixinha e é muito legal.”

Fantasma Blitz

“Se tem criança em casa, Fantasma Blitz é um dos melhores jogos que tem, porque ele trabalha uma coisa chamada controle inibitório nas crianças, que é pensar antes de agir, pensar antes de falar. Ele controla a impulsividade, trabalha um monte de coisas legais nas crianças e é muito divertido. É para as crianças curtirem.”

Dicas de Tomás Queiroz

Melvin vs Kronk

“Um jogo super rápido pra três a oito pessoas, ideal para quem está com uma galera ou crianças. É um party game super leve e divertido, qualquer pessoa consegue jogar e dar risada. Cada jogador revela uma carta e quando duas cartas iguais aparecem todos precisam correr para bater na pilha de gemas no meio da mesa. Essa combinação de atenção com agilidade cria momentos bem engraçados, e o jogo fica melhor com mais pessoas, porque você precisa estar prestando mais atenção e ser mais rápido.”

Allumbra ― O Duelo

“Um jogo rápido para dois jogadores em que você precisa prever os movimentos do seu oponente para escolher a melhor carta para cada situação. Ele é o jogo ideal para introduzir alguém em jogos de confronto direto (aqueles em é preciso derrotar outros jogadores para vencer). O Allumbra tem partidas de dez minutos, então perder não é muito pesado; é só embaralhar e jogar outra partida.”

As Torres de Arkhanos

“É um jogo onde você precisa construir torres de dados. Pode jogar com duas até quatro pessoas. Esse jogo é lindo, mas é muito mais que isso; você precisa constantemente se perguntar qual dado escolher e onde colocar, além dos efeitos especiais que se pode usar para mudar o número ou a cor do dado. Se você quer um jogo de estratégia, sem combate, com muitas decisões importantes, porém sem ser complexo, corra pra comprar As Torres de Arkhanos.”

Os Incríveis Parques de Miss Liz

“Esse jogo é sobre gerenciar parques de diversões. Lembra do jogo SimCity? É tipo isso, mas em um tabuleiro. Você precisa escolher as atrações do seu parque, construir espaços para os clientes e escolher onde seus trabalhadores vão estar, tudo pra criar o parque de diversão que gera mais felicidade. Se na sua casa o pessoal não gosta muito de aleatoriedade, vocês precisam jogar Os Incríveis Parques de Miss Liz, de dois até cinco jogadores.”

Pélaghos

“Nesse jogo vocês são piratas tentando dominar as ilhas de Pélaghos. É um jogo complexo, onde é preciso construir navios, contratar tripulação, procurar tesouro, fazer entregas, tudo isso enquanto se luta contra os outros jogadores pelo domínio das ilhas. Se você quiser  um jogo altamente estratégico, e não tem medo de enfrentar os outros jogadores, esse é o jogo para você.”

Resiliência como chave para um novo mundo?
Como será o varejo e a indústria de consumo depois do coronavírus?
Stone desonera 30 milhões de reais para lojistas durante a pandemia






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 262: O consumidor é phygital

CM 261: O respeito ao cliente é o caminho para 2021

Anuário: A omnicanalidade em todo lugar

VEJA MAIS