Apps de mensagens são os principais intermediadores de vendas online no Brasil

Pesquisa mostrou que a maioria das empresas usa aplicativos como WhatsApp, Skype e Faceboook Messenger para facilitar vendas

A chegada do novo coronavírus fez com que muitas empresas adotassem ou ampliassem o uso de canais digitais no relacionamento com clientes – para vendas, dúvidas, reclamações, entre outras demandas. Porém, de acordo com dados do TIC Empresas 2019, divulgada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), a adesão aos aplicativos de mensagens já era vista como uma opção para empresas e clientes, inclusive desde o ano passado.

Segundo a pesquisa, os aplicativos de mensagens foram os protagonistas das vendas de empresas de todos os setores no Brasil. O relatório revela que 57% das empresas venderam pela internet no ano passado. Os destaques são os setores da indústria, varejo, informação e comunicação, alojamento e alimentação. Apps como WhatsApp, Skype e Facebook Messenger foram usados por 42% das empresas que venderam online para intermediar as transações. Os outros canais mais usados foram e-mail (39%), redes sociais (20%), website da empresa (16%) e marketplaces (14%).

Usuários

É importante notar que o uso de apps de mensagem para intermediar transações é maior em empresas de menor porte, que são maioria no mercado brasileiro. Os números mostram que as empresas que têm ao menos 250 funcionários usam mais seus próprios sites ou marketplaces – 42% –, enquanto as que empregam 10 a 49 pessoas usam menos – essas ferramentas 29%.

Nos setores em que a maioria das transações se deram entre empresas, como indústria e construção, boleto e transferência bancária foram as formas de pagamento mais usadas. Já em segmentos que vendem diretamente ao consumidor final, como comércio e alojamento e alimentação, o cartão de crédito é a maneira mais comum de realizar pagamentos.

A pesquisa ainda mostrou quais são os principais entraves para as empresas que não vendem pela internet. O primeiro motivo apontado pelos empresários é a simples preferência pelo modelo de negócio atual, citada por 51%. Outros motivos são a inadequação dos produtos para venda online (49%), alto custo de desenvolvimento e manutenção (38%) e a baixa demanda no online (36%).


Principais apps usados na intermediação de vendas on-line

42% aplicativos de mensagens
39% e-mail
20% redes sociais
16% website próprio
14% marketplaces


Presença digital

Pouco mais de metade das empresas (54%) brasileiras declararam possuir um website, cenário estável na comparação com a última pesquisa, de 2017, quando 55% disseram ter uma página na internet.

Por outro lado, a presença nas redes sociais cresceu. Se em 2017 71% estavam em alguma plataforma, em 2019 o índice chegou a 78%.

Turismo digital é aposta para diminuir o impacto do coronavírus

“Digital mais humano” é o futuro da Customer Experience após a COVID-19






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS