Entidades do varejo se unem para criar plataforma de geração de empregos

Preocupadas com a crise causada pela pandemia do novo coronavírus, associações decidiram facilitar a recolocação de profissionais no setor

Entidades ligadas ao varejo se uniram para desenvolver uma plataforma online de geração de empregos no setor. Batizada de Vagas no Varejo, a iniciativa espera minimizar os impactos provocados pelo novo coronavírus ao facilitar a recolocação de profissionais no mercado de trabalho e preservar a atividade empresarial.

Em linhas gerais, trata-se de uma plataforma que oferece vagas oferecidas por empresas varejistas de todo Brasil. Ela funciona como uma Catho, porém exclusiviamente para varejista.

O lançamento oficial da plataforma aconteceu no último Dia do Trabalho (1º de maio). O projeto foi idealizado pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe) e Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Outras 26 entidades participam da ação.

Indicadores do Ibre/FGV mostram que a crise pode deixar até 12,6 milhões de desempregados e contrair em cerca de 15% a renda dos trabalhadores brasileiros.

“Temos unido esforços em prol da redução dos impactos econômicos e sociais sobre a atividade do varejo. Só o segmento de vestuário, calçados e artigos têxteis para o lar responde pela geração de 917 mil empregos em todo o País. Neste momento, o foco do varejo de moda está na preservação do emprego e renda”, diz Edmundo Lima, diretor executivo da ABVTEX.

Como funciona

O aplicativo Vagas no Varejo está disponível em todas as plataformas móveis (iOS e Android). Para se cadastrar, o candidato destaca sua área de atuação, experiências profissionais e disponibilidade de horários. A inserção do currículo é opcional. As entrevistas serão feitas online.

As empresas interessadas em recrutar profissionais têm uma área exclusiva no portal. Lá, poderão cadastrar as oportunidades de emprego e serão responsáveis por excluir as vagas que forem preenchidas. Para anunciar na plataforma é necessários assinar um termo firmando o compromisso de não utilizar as informações de candidatos para qualquer outra finalidade, como venda de produtos ou serviços.

Rápida adesão

As primeiras reuniões para discutir o movimento tiveram início no fim de março e, em apenas 15 dias, ganharam a adesão de mais 17 entidades.

“A redução do ritmo da economia e o desemprego são consequências inevitáveis da crise, e a retomada tende a ser muito lenta em alguns setores. Com essa estratégia, empresários e dirigentes da iniciativa privada somam esforços e competências para reverter mais rapidamente esse quadro e manter o nível de emprego e renda para muitas famílias”, afirma Sergio Mena Barreto, CEO da Abrafarma.


Apps de mensagens são os principais intermediadores de vendas online no Brasil
Tudo que você precisa saber sobre Rent, Resale e Refubish

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS