Como fazer networking e ter relações produtivas na quarentena

Interação em tempos de pandemia? Veja como reinventar a comunicação nos relacionamentos pessoais e profissionais durante o isolamento social

Fazer networking é importante para ampliar a rede de contatos, prospectar negócios, conquistar clientes ou até conseguir um novo emprego. Contudo, a pandemia do novo coronavírus prejudicou essa estratégia. Eventos presenciais foram cancelados e não é mais possível convidar alguém para tomar um café e apresentar ideias.

Apesar do distanciamento social, não se pode abrir mão do relacionamento pessoal: é importante dar continuidade ao networking. Mas, afinal, como ser comunicativo e criar melhores formas de contato durante a pandemia? A boa notícia é que há algumas maneiras. Conversamos com Fernando Felix, Trainer em Programação Neurolinguística, focado em persuasão interna e externa para negócios, que orientou sobre o assunto.

Confira:

1 – Esteja presente, mas não seja chato

Primeiramente, é preciso reinventar a comunicação nos relacionamentos pessoais e profissionais, ingressar em plataformas digitais e se relacionar com quem compartilha interesses em comum. No entanto, tudo deve ser de forma razoável, nada de exageros.  Pensar em “o que posso implementar positivamente” é o ponto entre estar presente e não ser chato.

“As pessoas estão sensíveis, o nível de estresse aumenta. Você não consegue descansar ao perceber que o dia não rende, o faturamento não chega e não existe uma data limite para a situação. O que fica é a incerteza e a desconfiança.  Lembra do 11 de setembro? Foi um momento com uma carga emocional forte, por isso, a maior parte das pessoas se recorda onde estava, com quem e fazendo o quê.  O momento atual também é de uma forte carga emocional e você pode (e deve) utilizá-lo a seu favor estando presente com as pessoas, mesmo que de forma virtual. Quem estiver presente e se colocar à disposição será lembrado”, comenta Felix.

2 – Não é hora de vender

Hoje, a solidariedade e a empatia estão acima dos lucros. É importante ajudar as pessoas a terem um controle emocional maior e foco no que interessa.  Quem fizer isso ficará gravado positivamente na memória. “Por mais que a empresa precise faturar, não é o melhor momento para sair fazendo ofertas de produtos ou serviços, ou enviando e-mails fora de contexto. Deve-se levar em consideração o atual momento com clientes e perspectivas, e, se for vender, que seja com muita entrega e tickets mais baixos. Existe muita incerteza no ar”, orienta o profissional.

3 – Aquela pessoa que você não fala há tempos? Não faz parte do seu networking

Crédito: Pexels

“Quem não é visto não é lembrado”. Essa frase popular é uma realidade, ainda mais agora. Não adianta você ter se distanciado de alguém e agora voltar o contato como se nada tivesse acontecido. Boas relações são construídas a base de tempo. Utilize isso para o momento e para o futuro.  “Estar presente de forma genuína na vida das pessoas importantes é o que diferencia os interesseiros dos interessantes. Se empenhe em ter interesse verdadeiro pelas pessoas.  Chame-as no WhatsApp, envie um áudio ou faça uma ligação para saber como estão. Coloque-se à disposição para auxiliar no que estiver ao seu alcance. É o que as pessoas vão lembrar quando essa fase passar”, ressalta Felix.

4 – Ocupe-se com novas experiências

Esse é o momento de investir em novas experiências. Colher aprendizados em fases complicadas só fortalece as pessoas.  “Sabe as leituras que você estava procrastinando? Aqueles cursos online que você comprou e não assistiu? Os projetos que estavam na sua mente e nunca saíram do papel? Aproveite, quanto mais você se ocupar menos tempo terá para conflitos. Pessoas em isolamento estão mais tensas e propensas a discussões e desentendimentos. O número de divórcios e brigas em família tende a aumentar consideravelmente. Quer se blindar nesse sentido? Ocupe-se”, propõe.

5 – Cuide da sua saúde

Para construir relações produtivas e não deixar o networking morrer, também é importante estar bem internamente. Por isso, invista um tempo para ter um contato interno.  Ter equilíbrio é a base de tudo. Ressignifique e lembre que, de uma forma ou outra, isso vai passar. “Seu cérebro está dentro do seu corpo. Ele não funciona bem se você não está bem. Faça alguma atividade física mesmo em casa. O desejo de gratificação imediata aumenta nesses períodos. Não se prive de comer bobagens e assistir filmes e seriados, mas mantenha o equilíbrio, busque sempre o caminho do meio, como diriam os Budistas. Pense ao final do dia o que você tem a agradecer, o que foi bacana. Foque no positivo”, conclui o profissional.

“Novo normal”: Como a pandemia afeta o comportamento do consumidor?

As ações do Mercado Livre para absorver uma demanda maior durante a pandemia

Stone desonera 30 milhões de reais para lojistas durante a pandemia 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS