Home office: Top 5 apps para organização e produtividade

Se você ainda não ouviu falar desses apps, a hora é agora. Uma seleção rápida de ferramentas que te ajudam a concentrar mais no trabalho e preservar a saúde mental

O trabalho em home office é uma realidade há semanas, certo? Mas isso não quer dizer que todo mundo já esteja 100% acostumado com ele. O ser humano é uma criatura de hábitos e, por isso mesmo, enfrentamos tanta dificuldade na hora de mudar comportamentos já arraigados. Pensando nisso, listamos aqui cinco aplicativos que devem ajudar em duas frentes: melhorar o desempenho profissional e manter a mente mais calma. Até porque ir dormir pensando no trabalho que deveria ter sido feito, se faltou algo a entregar, no email que se esqueceu de encaminhar não é algo que favorece ninguém. E a tecnologia existe para isso: com mais organização você também poderá aproveitar o benefício que os outros dois aplicativos desta lista trazem – o de fazer a mente desligar das tarefas e focar nela mesma. Confira o top 5 abaixo:

TRELLO (Trello.com)

O aplicativo de organização de tarefas foi criado em 2010, mas ficou disponível para os brasileiros apenas a partir de 2015. Apesar de se usado por diversos tipos de empresas – de gigantes como Google ou National Geographic – até microempresas, muita gente ainda não conhece. O melhor dessa ferramenta é que você pode criar quadros de tarefas, marcá-los com etiquetas coloridas, especificar datas de entregas e controlar tudo tanto pelo desktop do computador como pela versão mobile. E funciona tanto para acompanhar suas entregas pessoais, como também como anda o ritmo de trabalho de um time, já que todos os envolvidos em um projeto podem ser notificados (por email ou alertas no celular) sobre o que está pendente. O Trello, como boa parte dos apps, tem uma versão gratuita, mais simples, e outra paga, bem completa. No YouTube há diversos vídeos explicando como tirar o melhor proveito do app e ensinando o que intuitivamente você não conseguir descobrir sozinho. Ah, e a melhor parte: quando se termina um bloco de tarefas é possível arquivá-las, dando aquela sensação de “dever cumprido” que nesses dias de quarentena faz tanto bem para a mente.

POCKET (Getpocket.com)

Dê adeus para aquelas dezenas de janelas abertas no browser do notebook ou do celular. O Pocket (que já foi chamado de Read it Later) é a solução para a frase “depois eu leio esse link”. Em um momento no qual estamos mergulhados em informações (via newsletters, portais, redes sociais, apps de notícias), usar o Pocket equivale a isolar em uma ilha de paz e tranquilidade o que você se interessou por ler durante o dia. Basta colar o link do que se quer salvar como interessante para ler/ver/ouvir depois e deixar tudo guardado – etiquetado com labels que categorizam seus interesses. A ferramenta também pode ser usada na versão mobile e, claro, tem um upgrade pago com mais benefícios, como manter cópia na nuvem de todos os seus artigos salvos, além de permitir uma busca mais potente por tudo que for postado em seu perfil (é possível navegar por palavra-chave, autor, etiquetas, etc). Para isso, o custo é de 39,99 euros ao ano. A versão gratuita, no entanto, é bastante satisfatória para a maioria dos usuários.

BOOMERANG (Boomeranggmail.com)

Se você é um dos milhões de pessoas que usam o Gmail (gratuitamente ou com algum domínio pago), então baixe agora a extensão chamada Boomerang e organize seus envios de mensagens através de agendamento. Ao fazer o download do app é possível escolher data e horário para mandar os emails, acompanhar se aquela mensagem não teve resposta (ele te lembra que quando isso acontecer) e por aí vai. O app garante que você nunca mais se esqueça de responder alguém ou já deixa organizada aquela série de mensagens que precisam chegar na caixa de entrada de parceiros, clientes, chefes e colaboradores na segunda-feira de manhã. Ou seja, facilita muito a vida. A única questão é que a versão grátis do Boomerang permite apenas o agendamento de 10 emails por mês – e uma vez que você começa a usá-lo, é bem capaz de ultrapassar esse número. Recomendar o app para seus amigos via redes sociais (Twitter ou Facebook, por exemplo) garante alguns envios extras, mas o uso corporativo requer mesmo uma assinatura, que custa 4,99 dólares por mês para envios ilimitados (no plano pessoal) ou 49,99 dólares mensais na versão Premium.

NIKE TRAINING CLUB

O isolamento dentro de casa faz com que até os mais resistentes à exercícios considerem a atividade física uma amiga na hora de dar uma pausa na mente. Se você está nesse ponto, o app da Nike é um dos mais indicados, já que possui cerca de 200 treinos diferentes – e gratuitos – possíveis de serem feitos na quarentena. Você também pode escolher o nível de dificuldade (iniciante até avançado), o tanto de tempo que quer se exercitar (entre 15 e 60 minutos) e as partes do corpo a trabalhar por vez (pernas, braços, alongamento, etc). Ele ainda permite que você vincule suas músicas aos treinos e convide amigos com quem pode compartilhar os minutos treinados e fazer uma saudável competição. Além disso, esportistas como Cristiano Ronaldo, Serena Williams e Michael Jordan colocaram treinos na plataforma, de maneira a incentivar quem está em quarentena a se mexer mais. O app da Nike funciona apenas no celular. É baixar e malhar.

CALM (Calm.com)

Essa lista não poderia se encerrar sem um aplicativo que auxiliasse a hora de dormir. E o Calm, um dos primeiros a focar em meditação para uma boa noite de sono, é o mais indicado, tanto que vive nas listas de mais baixados nos marketplaces virtuais. É possível criar um perfil tanto via desktop quanto mobile e, além de focar numa melhor maneira de descansar a mente para dormir, o app também disponibiliza meditações e histórias que melhoram o estresse, incentivam a busca da pessoa por sentimentos positivos como felicidade e gratidão, além de fortalecer a autoestima. O aplicativo, no entanto, é pago, mas deixa o usuário testar por sete dias seus programas especiais focados em melhorar a concentração ou acalmar a ansiedade. Em tempos de Covid-19, a plataforma está dando desconto de 40% para quem acessá-la – o que resulta em uma assinatura anual de 41,99 dólares por 1 ano de uso. Pensando em quantos meses as instabilidades causadas pela pandemia do novo coronavírus devem durar, talvez seja caso de considerar essa ideia.

 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS