Top 10: os edifícios mais sustentáveis de 2020

Site de tecnologia traz as construções dos Estados Unidos onde design e baixa emissão de carbono se encontram em projetos quase perfeitos

PRÉDIO DA FUNDAÇÃO FORD PARA A JUSTIÇA, EM NOVA YORK

2020, o ano que não aconteceu? Essa premissa não vale para a lista de edifícios abaixo, que entram o ano marcado pelo surto do novo coronavírus no mundo com outro status: o de construções que mais otimizaram os recursos naturais e o design, no que pode se tornar uma tendência de inspiração para se levantar prédios nos próximos anos.

A lista é feita anualmente pelo American Institute of Architecture Committee on the Environment, se resume apenas a edifícios em solo dos Estados Unidos e foi divulgada pela “Fast Company”, publicação referência em design e tecnologia no mundo. De acordo com o site, prédios, no geral, são responsáveis por cerca de 40% das emissões de CO2 no mundo. Por isso mesmo, a sustentabilidade virou um dos pilares mais necessários para a arquitetura nos tempos atuais. Quer saber quais são esses prédios do futuro – que já existem agora? Acompanhe abaixo:

BIBLIOTECA CENTRAL DE AUSTIN


A biblioteca pública localizada na região central da cidade do Texas tem como “estrela” de sua construção um mecanismo de reutilização de água da chuva capaz de armazenar o equivalente a mais de 370 mil galões de água, que é usada em todos os jardins. O prédio também tem um átrio alto, de seis andares, que traz toda a iluminação natural para o lado de dentro, minimizando gastos com energia elétrica. Além disso, a biblioteca ainda possui um dos selos mais altos de certificação que garantem que aquela construção é realmente “verde”.

PORTO DE ENTRADA TERRESTRE COLUMBUS

Na região do Novo México fica localizada essa espécie de alfândega de fronteira – já que o estado se limita com o México e está bem na parte sul dos Estados Unidos. Ali, chama a atenção o uso de painéis solares e uma preocupação em criar um ambiente acolhedor e multicultural para quem está indo e vindo. Há também áreas destinadas à plantas locais, que servem de abrigo para os animais do deserto no entorno, bem como lagos artificiais que são espécies de “esponjas” capazes de armazenar a água vinda das poucas chuvas que caem por ali no ano todo.

PRÉ-ESCOLA ENVIRONMENTAL NATURE CENTER, NA CALIFÓRNIA

Essa escola que fica na Califórnia virou exemplo por conter um espaço destinado apenas para plantas nativas em seu terreno. Localizada em um bairro mais afastado de Newport Beach, ela também usa água da chuva para alimentar partes da construção – mas o líquido, aqui, é filtrado pelas próprias plantas, que limpam a água. O prédio da pré-escola foi erguido com materiais naturais e reciclados, bem como projetado para funcionar com luz solar através dos painéis localizados na cobertura. Os alunos também aprendem a cultivar a própria comida em uma horta orgânica e o design todo da construção é flexível, de modo que se no futuro a prefeitura quiser instalar outro equipamento público ali, que não uma escola, isso também é possível.

A SEDE DA ETSY, NO BROOKLYN, EM NY


A rede online de venda de produtos artesanais feitos à mão não podia ficar para trás nesta lista: a Esty, rede muito conhecida nos Estados Unidos, montou seu quartel general no bairro nova-iorquino do Brooklyn. O que o prédio tem de diferente? Nos meses mais quentes do ano os funcionários podem ir trabalhar de bicicleta, que há estrutura tanto para deixá-las como para eles trocarem de roupa; o telhado e os terraços são cobertos por plantas nativas da região, antes de serem destruídas; e a energia solar no telhado, juntamente com a decisão de comprar energia renovável quando necessário, garante que o prédio funcione 100% sem luz elétrica. um contrato para comprar energia solar adicional fora do local, alimenta o edifício com 100% de energia renovável. A estrutura original também foi recuperada, ao máximo, durante a reforma do edifício para gerar a menor quantidade possível de lixo.

PRÉDIO DA FUNDAÇÃO FORD PARA A JUSTIÇA, EM NOVA YORK

A reforma do prédio aconteceu de maneira a transformá-lo em um escritório-modelo. A planta-baixa do local foi aberta para se tornar um espaço mais atraente para o público durante visitas. O átrio central ganhou plantas mais resistentes e a água da chuva é capturada para irrigação e resfriamento do prédio. Com alguns ajustes, a construção, que é de 1968, mudou tanto que hoje é capaz de economizar o uso de energia em 35%. A renovação chamou tanta atenção que foi parar nas páginas offline e online de diversos veículos especializados em arquitetura e urbanismo, além de levar o prêmio de Melhor Renovação de Escritórios em 2019.

KELLER CENTER – ESCOLA DE POLÍTICAS PÚBLICAS, CHICAGO

O prédio da Universidade de Chicago – uma das cinco principais escolas de análise política dos Estados Unidos – data de meados do século 20, portanto, sua reforma, ajudou a reconectá-lo com os espaços públicos do campus de outra forma. Para começar, foi embora um enorme muro de concreto que circundava o edifício. Depois, persianas programadas para fechar automaticamente – e evitar a perda de calor – ajudam a economizar energia. As janelas, que têm uma tecnologia ultravioleta parecida com uma teia de aranha, ajudam os pássaros a não colidirem com o vidro. É mais uma construção que capta água da chuva que, quando em excesso, flui por uma espécie de cachoeira artificial.

CENTRO DE EDUCAÇÃO MARINHA (LABORATÓRIO DE PESQUISA DA COSTA DO GOLFO), NO MISSISSIPI

Depois de ver o prédio destruído pelo furacão Katrina, em 2005, a Flato Architects em colaboração com a Unabridged Architecture decidiu refazer a estrutura, que fica na cidade de Ocean Springs. O novo prédio foi feito em um terreno mais alto, cerca de 6 metros acima do nível do mar. Há também um caminho de plantas como pinheiros e carvalhos que servem como amortecedor para o vento. Desta vez, ao invés de criar um único e enorme prédio, o projeto dividiu o centro em vários pequenos edifícios que têm menor consumo de energia e ficam em meio a muito verde, preservando as árvores locais, que podem suportar ventos de até 180 milhas por hora.

EDIFÍCIO OS SEIS, EM LOS ANGELES

São 52 apartamentos acessíveis e projetados para serem ocupados por soldados veteranos de guerra, bem como pessoas portadoras de deficiência. Por isso mesmo, o local conta com serviços de apoio exclusivos. Em sua cobertura, um jardim atrai aves migratórias da região e o telhado foi concebido de maneira a evitar o aquecimento do edifício nos dias mais quentes do verão. Ainda há um pátio central que cria um fluxo de ar, na parte térrea, no espaço destinado aos moradores para eles socializarem, bem como muita ventilação natural. 95% da superfície do edifício é capaz de captar águas pluviais, ou seja, mais economia e bom uso.

Prédio da UPCycle, Austin, Texas

Esse projeto da firma de arquitetura Gensler transformou um prédio vazio que era um centro de reciclagem no passado em um espaço de escritórios descolado e cool. Destaque para a luz natural, que é a estrela do prédio, bem como por um sistema de ventilação que reduz o uso de ar-condicionado para combater o calor texano. A reforma usou praticamente todos os elementos do prédio anterior, economizando mais de mil toneladas de CO2 na rua reforma. Aplausos.






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS