Dor durante o home office? Fique atento aos motivos

Estamos há mais de 4 meses em home office e se você começou a sentir dores na coluna, no pescoço ou na mão, saiba que não é o único. Veja dicas de especialista

Com a pandemia de COVID-19, grande parte da população brasileira está há mais de 4 meses em home office. A estratégia adotada, considerada segura no momento para evitar aglomerações em locais de trabalho e transportes públicos, pode ser um alívio para alguns e desconfortável para outros, principalmente, pela postura que estamos costumamos a trabalhar.

Algumas horas na posição errada, podem ser suficientes para o surgimento de dores e desconfortos que demoram para passar e afetam a produtividade. Então, se você começou a sentir dores na coluna, no pescoço ou na mão, saiba que não é o único.

Apesar do trabalho remoto parecer muito mais cômodo para os trabalhadores, é preciso ficar atento aos cuidados no escritório pessoal e fazer algumas mudanças se for possível. Alexandre Fogaça, membro do Departamento Científico de Ortopedia e Traumatologia da Associação Paulista de Medicina e chefe do Grupo de Coluna do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, afirma que, para não prejudicar a coluna, a mais afetada nesse período, é importante que a tela do computador esteja na altura dos olhos e o teclado e o mouse na altura dos cotovelos dobrados.

A mesa deve ter uma altura confortável e a cadeira precisa ter encosto. Apoiar os pés no chão ou ter um suporte onde apoiar e evitar trabalhar em locais como a cama, é fundamental.

“Nesta época de pandemia, muitos precisaram trabalhar de casa, mas nem todos conseguiram boas condições de ergonomia. Trabalhar por horas diárias numa situação não ergonômica pode causa dores musculares e articulares envolvendo a coluna cervical, lombar e membros superiores”, afirma Fogaça.

Mantenha uma rotina saudável

Outra dica é padronizar um intervalo a cada duas horas, no qual pequenos alongamentos em áreas externas da casa são bem-vindos. Além disso, é importante manter uma alimentação saudável e focar em ter uma rotina regular de atividades físicas nos horários fora do expediente. Caso a pessoa não seja adepto a exercícios, uma caminhada diariamente dentro seu condomínio ou no bairro, tomando todos os cuidados como uso de máscara e higiene das mãos, pode ajudar.

Além de prevenir dores, essas atitudes fortalecem a imunidade e ajudam na prevenção contra o novo coronavírus. Pois, em casos mais graves, com dores intensas que durem mais que 15 dias, é indicado procurar um médico para evitar uma série de problemas futuros.

“Inicialmente, as dores são musculares, mas podem predispor a hérnias de disco, artrose, desvios de coluna, tendinites, entre outros. A hérnia de disco pode ser a consequência de uma sobrecarga e desgaste dos discos intervertebrais cervicais e lombares. A artrose, conhecida popularmente por bico de papagaio, é consequência da sobrecarga e desgaste das articulações entreviam vértebra e outra”, reforça o especialista.


Por que nos autossabotamos? Saiba como parar com esse comportamento

Videoconferências e calls podem esgotar mais seu cérebro no home office?

O efeito do home office no atendimento

Como adaptar imóveis pequenos para o home office






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS