Publicidade em aplicativos ganha importância na pandemia

Muitas empresas mudaram as estratégias para o comércio eletrônico durante a pandemia, e campanhas em aplicativos ganhou espaço

Desde o início da quarentena, em março, o Brasil registrou um aumento de 25% em instalações de aplicativos no mobile. A maior alta foi em São Paulo (50%), seguido do Rio de Janeiro, com 21%. A análise da AppsFlyer também evidenciou um crescimento de 9% em sessões, considerando todas as categorias de apps. Nesse cenário, a publicidade em aplicativos passou a ser vista cada vez mais como uma medida certeira para encontrar o usuário onde ele está.

Tiago Cardoso, diretor geral da Criteo na América Latina, afirma que os aplicativos se tornarão cada vez mais importantes ao longa da jornada de compra do consumidor. “Não é segredo que os consumidores estão passando mais tempo do que nunca em seus celulares e, grande parte, é em aplicativos. Assim, a publicidade em aplicativos permite que os profissionais de marketing impactem os usuários ao longo de sua complicado jornada de consumo devido à frequência com que estão sendo usados no período de um dia. As marcas que não estão acessando esse canal estão perdendo a oportunidade de impactar um público-alvo”, explica o especialista.

CAMPANHAS EFICAZES

Como em toda campanha de publicidade, a veiculada em aplicativos deve ser pensada de acordo com o público-alvo. Para que isso seja feito da maneira mais eficaz possível é preciso escolher os aplicativos certos para a veiculação, entender o momento ideal e, até mesmo, levar em consideração o comportamento em diferentes dispositivos.

“O consumidor espera uma experiência de publicidade personalizada, qualquer uma deve agregar valor, independentemente do canal em que está sendo exibida. Para a publicidade em aplicativos, a compreensão do comportamento em tempo real do usuário permite que os profissionais de marketing o impacte com anúncios personalizados – seja uma recomendação de produto ou um item visualizado anteriormente”, explica Tiago.

Agora, com a reabertura das lojas, esse processo deve ser feito com ainda mais cuidado. O motivo disso é o aumento da atenção para o digital que se criou durante a pandemia, tornando, com a volta do físico, o caminho para a compra ainda mais complicado pela quantidade de pontos de contato na jornada.

Isso é possível com o uso de tecnologias, como o machine learning, além de recursos de otimização preditiva. Plataformas disponíveis no mercado oferecem esse serviços. Tiago dá o exemplo de algumas utilizadas na Criteo. “Por meio do Criteo Direct Bidder temos conexões diretas com diversos aplicativos. O Criteo Shopper Graph mostra a jornada online de um comprador. Já o Shopper Graph exibe um anúncio com base na experiência de navegação anterior.”

O objetivo final das campanhas em aplicativo eficazes é encontrar os usuários certos, que tenham alto valor. Dessa forma, a intenção não é apenas que a pessoa faça o download do aplicativo da marca, mas que o utilize.

A Via Varejo, companhia que registrou lucro de R$ 65 milhões no segundo semestre de 2020, viu a necessidade de mudar a sua estratégia para o comércio eletrônico durante a pandemia e experimentou os efeitos. “Lançamos uma campanha de aplicativos e já vimos um grande aumento no tráfego de nosso apps. Continuamos a entender nossos consumidores onde eles estão online”, afirma Bruno Bolanho, gerente de marketing de desempenho e CEO da Via Varejo.






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 262: O consumidor é phygital

CM 261: O respeito ao cliente é o caminho para 2021

Anuário: A omnicanalidade em todo lugar

VEJA MAIS