Magazine Luiza aproveita boom no delivery de comida e adquire AiQfome

Aplicativo conta com 2 milhões de usuários cadastrados e 17 mil restaurantes parceiros

Aproveitando o crescimento acelerado do mercado de delivery de refeições, o Magazine Luiza anunciou seu ingresso no ramo através da compra da startup AiQfome, sediada em Maringá (PR). A aquisição a amplia a prateleira do Marketplace da companhia, que já conta também com Magalupay, Estante Virtual, Netshoes, Época Cosméticos e Zattini.

O AiQfome atende principalmente cidades com população de 15 mil a 300 mil habitantes. Diferentemente dos aplicativos de entrega mais consolidados como Ifood, UberEats e Rappi, o aplicativo atua na intermediação das encomendas e no pagamento das refeições, enquanto os restaurantes ficam responsáveis pela entrega.

Magazine Luiza pretende expandir plataforma

Atualmente, o aplicativo atende 350 cidades localizadas em 21 estados. São mais de 2 milhões de usuários cadastrados e 17 mil restaurantes parceiros, resultando em uma movimentação de 700 milhões de reais por ano.

O AiQfome tem como objetivo para, ainda este ano, expandir a atuação em mais 150 cidades do Brasil. De acordo com a empresa, cada usuário cadastrado realiza, em média, três pedidos por mês.

Segundo o diretor financeiro Roberto Bellissimo, o Magazine Luiza começará em breve a fazer testes com o AiQFome incluindo os serviço de entregas, enquanto amplia investimentos no negócio para atender cidades de maior porte.

“Além de ampliar a oferta de serviços do nosso marketplace, o objetivo com a compra é de que o AiQFome aumente a recorrência de uso do nosso superapp”, disse o executivo em transmissão pela internet.

Boom do mercado de delivery

Os aplicativos de delivery já observavam crescimento antes mesmo da pandemia, mas a ascensão ficou ainda mais evidente a partir de março, reflexo das mudanças nas relações de consumo durante o período de isolamento social

delivery

Mercado de delivery teve crescimento acelerado nos últimos meses

De acordo com pesquisa realizada pela Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, os gastos com os principais aplicativos de entregas focados no delivery de comida (Rappi, Ifood e Uber Eats) cresceram 94,67% durante o período mais restrito do isolamento.

Em maio, o ticket médio da Rappi era R$ 97,20, o que representa aumento de 92,4% em comparação ao gasto médio de R$ 50,51 de janeiro. O aumento do aplicativo é o mais expressivo, já que oferece, além de comida, entrega de supermercado, farmácia e compras em geral.

Já o Ifood, começou a registrar crescimento a partir de março No primeiro trimestre, o ticket médio era de R$ 35,00. A partir daí, o valor cresceu para R$ 42,00, representando 22,3% de aumento.

 






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS