Bradesco lança Bitz e aumenta ofertas de serviços digitais

Com nova empresa, Bradesco entra para o mercado de carteiras digitais e contas de pagamento

A partir desta segunda-feira (14), com o lançamento da Bitz, o Bradesco entra para o mercado de carteiras digitais e contas de pagamento. De acordo com Curt Zimmermann, CEO do Bitz Serviços Financeiros, a novidade vem para complementar a oferta de serviços digitais do banco, que tem como um dos pilares da estratégia a transformação digital.

“Construímos com o Bitz o terceiro pilar da nossa estratégia digital – que se junta ao banco, em si, que vem se transformando digitalmente e cada vez mais trazendo produtos e serviços para a palma da mão dos clientes, e ao Next, o nosso banco digital. A gente acredita que o mercado de carteira digital ainda está no início de seu potencial e nos interessamos muito por entendermos que é uma oferta complementar aos nossos serviços”, diz Curt.

Assim como todas as empresas do grupo, a Bitz, uma conta pagamento de fácil abertura, tem a experiência do cliente como foco das atenções e destino dos principais investimentos – que até o final do primeiro ano de operações devem ser de cerca de R$ 100 milhões. Para universalizar a carteira e permitir que ela seja usada para tudo que o cliente precise durante o dia, há um plano para desenvolver uma rede de integração, criando jornadas integradas – como a inclusão dos cartões Alelo Alimentação e Refeição ou jornadas de estacionamento ou pedágio pela Veloe.

“O mundo se digitalizou em serviços financeiros e o Bitz pode ser uma ferramenta interessante para a gente ter rapidez e muita praticidade nas transações digitais”, afirma o CEO.

A Bitz oferece cartão de débito físico e cartão online. Foto: Divulgação.

Serviços oferecidos

Curt cita benefícios como o cashback, que podem ser usados onde o cliente desejar, e ampla aceitação – em toda a rede cielo e mais de 1,5 milhão de QR Code em estabelecimentos do país – como os principais pontos que agregam valor para o consumidor. Esperando atrair clientes que ainda são desbancarizados, há uma opção de cartão virtual que funciona de forma pré-paga e tem chassi de cartão de crédito, o que permite permite compras no e-commerce e assinaturas de serviços digitais como de streaming.

A facilidade para transações também é contemplada com possibilidade de transferência de Bitz para Bitz a partir da agenda de contatos do celular, pagamentos de boletos online, recarga de celular pelo aplicativo e até uso do cartão para aproximação e entrada na rede de metrôs de São Paulo.

O Bitz também possui soluções voltadas para comerciantes de pequenas e médias empresas.

Chegada do PIX

Novo sistema de pagamentos desenvolvido pelo Banco Central, o PIX deve entrar no ar em novembro deste ano para exatamente facilitar as transações bancárias, trazendo instantaneidade no recebimento do dinheiro e disponibilidade 24 horas. O CEO do Bitz acredita que a tecnologia é uma “oportunidade gigante” para o Bitz funcionar bem. “Hoje em dia a maioria das carteiras oferecidas têm um circuito fechado, eu consigo fazer da própria carteira para carteira uma transferência automática, online, real time. Como o PIX universaliza isso, estamos vendo como uma oportunidade da nossa carteira digital já vir interoperando com todas do mercado em um curtíssimo espaço de tempo. Isso viabiliza o negócio do Bitz”, afirma Curt.

O plano de negócios da nova empresa prevê um crescimento grande, onde, dentro de três anos, deteria entre 20% e 25% do mercado de carteiras digitais brasileiro. Em breve, duas aquisições devem ser anunciadas pela Bitz para complementar a tecnologia ou incorporar uma base de clientes.


+ Notícias 

Pix: nova tecnologia vai acabar de vez com o dinheiro físico?

Como criar métricas de qualidade no atendimento ao cliente

Saúde iD vai criar marketplace para melhorar saúde no Brasil


 






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS