O que mudou na estratégia da Apple?

Além do novo iPad e Apple Watch, marca lançou dois novos serviços; anúncio do novo iPhone ficou para mais tarde

Apple lançou nova linha de produtos e serviços

Há dez anos a Apple anuncia seu novo modelo de iPhone sempre no começo de Setembro. Em 2020, porém, a “tradição” foi quebrada, e o anúncio deve atrasar para outubro, segundo analistas. No lugar das novidades sobre o celular, a empresa de Tim Cook renovou sua linha de produtos com modelos do tablet iPad e do relógio inteligente Apple Watch. Importante destacar uma mudança estratégica da marca: aposta cada vez mais em serviços e trouxe duas novidades, o Apple One e Apple fitness +.

Apple Watch Series 6

O Apple Watch Series 6 preserva o mesmo design dos modelos da Série 4 e Série 5, mas com melhorias internas e novos acabamentos.

A principal novidade é que o novo modelo poderá também medir o nível de oxigênio no sangue dos usuários – modelos anteriores já tinham funções relacionadas à saúde, como executar um exame de eletrocardiograma.

Não há, ainda, estimativa de quando o produto que terá preços a partir de R$ 5,3 mil chegará ao Brasil. A marca lançou também o Apple Watch SE, versão “mais acessível” do relógio e que chega ao País a partir de R$ 3,8 mil.

Ipad Air

Quanto aos tablets, a principal novidade é a nova edição do iPad Air, que contará com o chip A14 Bionic, mais potente e capaz de executar até 11 trilhões de operações por segundo. O processador deve ser o mesmo que será utilizado no novo iPhone 12, o qual ainda não foi anunciado.

Outra grande mudança no produto é a inclusão de um sensor de impressão digital Touch ID de autenticação dentro do botão liga/desliga do tablet. O produto custa a partir de US$ 599 (R$ 3.160) e estará nas lojas a partir de outubro

Apple One

A Apple lançou um pacote de assinaturas de todos os serviços oferecidos pela companhia, o Apple One, um “pacotão” de assinaturas que permite aos clientes assinar diferentes serviços digitais da empresa por um preço mensal mais barato.

O serviço chega ao Brasil e outubro e permitirá reunir serviços como música, jogos, filmes, séries e armazenamento na nuvem. O preço será R$ 26,50 ao mês.

Apple Fitness +

A marca anunciou também um “streaming de atividade física”, com treinos de 10 modalidades e integração com o Apple Watch e ao aplicativo fitness do iPhone. O serviço custará US$ 9,99 (R$52,94) por mês ou US$ 79,99 por ano (R$ 423,95).

, o Apple Fitness+ é um “serviço de streaming de atividade física”, com treinos de 10 modalidades e integração com o Apple Watch. Custará US$ 10 por mês. Já o Apple One é um “pacotão” de assinaturas – o plano mais barato, no Brasil, reunirá serviços de música, jogos, filmes e séries e armazenamento na nuvem por R$ 26,50 ao mês. Estreia em outubro.

Preços mais salgados

A Apple elevou o preço de versões antigas dos aparelhos no Brasil. Vendido no País desde 2017, o Apple Watch 3 ficou R$ 700 mais caro na versão de 44mm de diâmetro, por exemplo. Em alguns casos, o reajuste passou de R$ 3 mil – como no modelo mais caro do iPad Pro de 12,9 polegadas, que saltou de R$ 16,8 mil para R$ 20 mil.

A justificativa da empresa é a desvalorização do real frente ao dólar – nos Eua, o preço dos modelos antigos segue o mesmo.]


+ NOTÍCIAS

Saiba as maneiras mais seguras de criar seu login no Windows, MacOs e Chrome Os

Bar em casa: pandemia altera dinâmica do consumo de bebida alcoólica

A importância do silêncio para a sua saúde mental


 






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS